Alemão nega ação na Justiça contra o Santos por contrato

Atacante diz que não tem nenhum contrato de gaveta com o time alvinegro e que esteja querendo sair

Sanchez Filho, Especial para O Estado de S. Paulo

30 de janeiro de 2008 | 12h53

Depois de desautorizar a mãe e a sua advogada e jurar que ama o Santos, o atacante Alemão (José Carlos Tofolo Júnior), de 18 anos de idade, destaque na Copa São Paulo de Juniores deste ano, pode voltar a formar dupla com Tiago Luís nesta quinta-feira à noite, contra o Barueri, na Vila Belmiro.       "Não autorizei ninguém a fazer isso e não fui coagido a assinar o contrato de gaveta com o Santos, em 2006", disse o garoto, após ser escalado como titular do ataque santista na primeira parte do coletivo desta quarta-feira, no CT Rei Pelé. "Amo o Santos, que me acolheu bem. Tenho carinho pelo clube e quero ficar aqui por muitos anos."       Na manhã desta quarta, Alemão estava fora do Santos, diante da notícia publicada pela Folha de S. Paulo sobre a denúncia apresentada por sua mãe, Maria Tofolo, e sua advogada, Liliane Fermozelli, à CBF, segundo a qual o garoto foi coagido a assinar um contrato de gaveta, quando ainda tinha 16 anos de idade. O documento foi assinado em 2006 e seria registrado no fim de julho quando vence o contrato atual. Porém, após garantir ao técnico Leão que sua mãe havia tomado aquela decisão à sua revelia, foi mantido no elenco e até deve jogar nesta quinta-feira.       Em entrevista à imprensa, Alemão disse que vai acertar um novo contrato com o Santos para substituir ao de gaveta, quando o atual terminar, no dia 28 de julho. Nas negociações, ele terá a assessoria de um empresário italiano. "Conheci esse empresário quando ele esteve no Brasil para observar jogadores, no ano passado, e fiquei amigo dele quando o sub20 (do Santos) fez uma excursão à Itália, em setembro de 2007", explicou o atacante.       No segundo semestre do ano passado, Alemão entrou com ação na Justiça do Trabalho pleiteando o rompimento do seu atual contrato, sob a alegação de que o clube havia deixado de depositar o seu FGTS. Perdeu em primeira instância e não pôde aceitar uma boa proposta do Torino, da Itália.     Na semana passada, Alemão por pouco não se tornou jogador do Palmeiras. Ele chegou a se reunir, na capital, com a direção da Traffic, mas não houve acordo para a sua contratação. "Foi apenas uma reunião", desconversou o jogador, que fez um apelo aos jornalistas: "Por favor, não liguem para a minha mãe. Deixem que ela viva a vidinha dela. Quem decide sobre a minha carreira sou eu", finalizou.

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCPaulistão A-1Alemão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.