Alex Alves, o artilheiro dos pênaltis

O atacante Alex Alves tem sido o principal beneficiário da enxurrada de pênaltis que vêm sendo assinalados a favor do Botafogo no Campeonato Brasileiro. Afinal, o time carioca, em apenas 13 rodadas, teve para si a marcação de dez penalidades e, destas, o artilheiro alvinegro cobrou oito e converteu todas.Alex Alves, porém, não quer ser taxado como "o artilheiro dos pênaltis" e tampouco se mostrou simpático a quem desdenhou de sua capacidade de fazer gols com bola rolando. E ainda valorizou ao máximo os triunfos obtidos na cobranças das infrações. "O que importa é fazer gol, independente da forma como ele surge", retrucou Alex Alves, para em seguida se defender com uma provocação. "Quantos jogadores batem pênaltis e não fazem?"Por saber da importância das cobranças de pênaltis, o atacante do Botafogo confessou que as treina diariamente porque, no futebol atual, muitas partidas são decididas em lances desta natureza. E mais do que ocupar o posto de vice-artilheiro do Brasileiro, para Alex Alves o importante é o fato de o time carioca estar obtendo os resultados necessários para chegar à conquista do título."Não vejo isso pelo lado negativo. Atacante vive de gols e o importante é estar ajudando o Botafogo", destacou Alex Alves.E Alex Alves não esqueceu de elogiar o desempenho dos árbitros nos jogos do Botafogo, já que eles "não têm feito vista grossa" quando ocorre um pênalti a favor da equipe. Afinal, o time tem a elevada média de 0,77 pênaltis por partida. O bom desempenho de Alex Alves tem arrancado elogios de seus companheiros. Outro especialista em cobranças de bola parada, especificamente nas faltas, já marcou cinco no Brasileiro, o lateral-direito César Prates frisou que o atacante do Botafogo não deve se incomodar com as críticas "maldosas"."O Alex Alves é um grande jogador e isso não diminui em nada o seu valor", elogiou César Prates. "Não é algo normal o excesso de pênaltis para o Botafogo, mas isso só serve para provar que o time vem criando jogadas e os adversários são forçados a fazer faltas dentro da área."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.