Alex, Evair e Oséas integram lista de gols históricos do Palmeiras

Diego Souza, Cleiton Xavier, Ronaldo, César Sampaio, Djalminha e Marcos marcaram época na trajetória centenária do time alviverde 

Daniel Batista, Diego Salgado, Glauco de Pierri e Gustavo Zucchi, O Estado de S. Paulo

26 de agosto de 2014 | 06h00

Gols de títulos sempre são lembrados pelo torcedor e, pela importância, são apontados como inesquecíveis na história centenária do Palmeiras. Exemplos não faltam: Evair, em 1993, de pênalti, sacramentou a vitória sobre o Corinthians. Oséas, cinco anos depois, deu ao clube sua primeira Copa do Brasil. A lista montada pelo Estado traz também gols bonitos e importantes, como de Alex, na Libertadores de 1999, de Ronaldo, no Paulistão de 1974 e César Sampaio, no Brasileirão de 1993.

Diego Souza, Cleiton Xavier, Djalminha e até o goleiro Marcos também marcaram época na trajetória centenária do clube. A lista ainda poderia trazer o gol do título do Campeonato Paulista de 1959, marcado por Romeiro. Edmundo, que parou a bola em cima da linha antes de marcar contra o Internacional, também é lembrado, como o gol de cabeça de Ademir de cobertura contra o Santos em 1972.

Alex - Palmeiras 4 x 2 São Paulo (2002)

O camisa 10 levou a torcida ao delírio ao marcar um dos gols mais bonitos da história do Palmeiras. No lance, Alex recebeu na entrada da área, aplicou um chapéu levantando a bola com o calcanhar e, antes de concluir, repetiu a jogada, superando Rogério Ceni.

Evair - Palmeiras 4 x 0 Corinthians (1993)

Um gol para colocar fim ao jejum de títulos. Evair, que já havia marcado o segundo gol palmeirense da final de 1993, fechou o placar na prorrogação ao cobrar o pênalti sofrido por Edmundo com extrema frieza, deslocando o goleiro Wilson.

Cleiton Xavier - Palmeiras 1 x 0 Colo-Colo (2009)

O Palmeiras precisava vencer fora de casa para evitar uma eliminação logo na primeira fase da Libertadores. Aos 44 minutos da etapa final, Cleiton Xavier enlouqueceu o torcedor depois de abrir espaço e soltar a bomba da intermediária.

Diego Souza - Palmeiras 3 x 1 Atlético-MG (2009)

Rapidez de raciocínio, visão de jogo e chute perfeito de bate-pronto a mais de 50 metros de distância. Diego Souza reuniu tudo isso ao marcar um dos gols mais lembrados pelo torcedor. O lance ocorreu no Palestra Itália, no Brasileirão de 2009.

Alex - Palmeiras 3 x 0 River Plate (1999)

Mais um gol do craque do Palmeiras no fim da década de 1990 e começo dos anos 2000. Dessa vez, um gol bonito e importantíssimo, na semifinal da Libertadores, responsável por abrir caminho para a vitória. No lance, Alex passa pelo marcador ao matar a bola no peito e solta a bomba da entrada da área.

César Sampaio - Palmeiras 2 x 0 São Paulo (1993)

O Palmeiras chegou à decisão do Campeonato Brasileiro de 1993 ao derrotar o fortíssimo time do São Paulo no Morumbi. Naquele jogo, César Sampaio deu um passe para Edmundo abrir o placar. O próprio volante fez 2 a 0 após arrancar com a bola dominada desde o campo de defesa. No lance, ainda driblou o goleiro Zetti antes de marcar.

Ronaldo - Palmeiras 1 x 0 Corinthians (1974)

O atacante Ronaldo ajudou a prolongar a fila corintiana em 1974. Após um empate por 1 a 1 na primeira partida, o Palmeiras bateu o arquirrival por 1 a 0, com um gol histórico já no segundo tempo da partida.

Oséas - Palmeiras 2 x 0 Cruzeiro (1998)

O gol marcado por Oséas na final da Copa do Brasil de 1998 evitou a decisão do título nos pênaltis. O atacante fez 2 a 0 no minuto final do jogo depois da falta cobrada por Zinho. A conquista deu ao Palmeiras uma vaga na Libertadores de 1999.

Marcos - Palmeiras 3 (5) x 2 (4) Corinthians (2000)

A defesa de Marcos contra o Corinthians na semifinal da Libertadores de 2000 pode ser considerada como um gol. Àquela altura, todos os nove jogadores haviam marcado na decisão por pênaltis. Marcelinho, porém, parou nas mãos do goleiro palmeirense.

Djalminha - Palmeiras 5 x 1 Fluminense (1996)

A breve passagem de Djalminha pelo Palmeiras teve momentos brilhantes, como nesse jogo contra o Fluminense. O craque abriu espaço na grande área e marcou um golaço ao encobrir o goleiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.