Andre Penner/AP
Andre Penner/AP

Alex Sandro ganha espaço com Tite e pode ser titular contra a Argentina

Lateral tem boas atuações na Copa América e poder herdar vaga de Filipe Luís, que sofreu lesão

Ciro Campos, enviado especial a Porto Alegre, O Estado de S. Paulo

29 de junho de 2019 | 04h30

A Copa América consolidou mais uma opção para o Brasil montar a lateral-esquerda do time. Alex Sandro, da Juventus, ganhou espaço na equipe ao entrar nos últimos dois jogos, arrancar elogios do técnico Tite e mostrar características diferentes em comparação ao atual dono da posição, Filipe Luís, a quem inclusive pode substituir na semifinal, na próxima terça-feira, no Mineirão, contra a Argentina.

Filipe Luís deixou o time no intervalo contra o Paraguai com um problema na coxa direita e abriu chance para Alex Sandro mostrar serviço. O jogador de 28 anos também havia entrado no segundo tempo da vitória sobre o Peru e convenceu Tite pela força física nos lances, boa impulsão, velocidade para chegar ao ataque e por uma atitude nos bastidores da seleção.

Tite gostou da postura do jogador momentos antes da definição das cobranças de pênalti contra o Paraguai. Ele estudava como montar a lista de batedores e se encontrava com a dificuldade de ter de excluir um dos 11 jogadores, pois o time rival tinha perdido Balbuena por expulsão e era necessário equiparar a quantidade de atletas.

A primeira ideia do treinador era excluir o meia Lucas Paquetá, de 20 anos, por ser jovem e estar no primeiro jogo pela seleção em competições oficiais. "O Alex Sandro veio e me disse: 'Professor, pode me tirar. O Paquetá bate melhor do que eu. Geralmente eu não vou bem em pênaltis'. Isso mostra um senso de equipe e de coletividade muito interessante para nós", comentou Tite depois da partida.

Na Juventus desde 2015 e na Europa desde 2011, Alex Sandro teve nos últimos anos convocações frequentes para a seleção brasileira, mas quase sempre como uma terceira opção. O espaço vinha geralmente se ou Filipe Luís ou se Marcelo não estavam em condições de atuar. Ainda assim, Tite sempre teve o lateral em elevada consideração e sempre o elogiou.

Pouco antes de fechar a lista da Copa, o treinador admitiu em entrevistas viver um dilema de ter três laterais em alto nível, porém só poderia levar dois. Alex Sandro agradou o treinador principalmente em um jogo importante nas Eliminatórias, quando foi titular na vitória por 3 a 0 sobre o Chile, no Allianz Parque, em outubro de 2017.

Por não ter desanimado com a ausência na convocação para a Rússia, Alex Sandro teve boa sequência na seleção brasileira desde então. No ano passado o jogador marcou ainda o primeiro gol pela equipe na vitória por 2 a 0 sobre a Arábia Saudita, em amistoso. O lateral completou para o gol de cabeça, uma das especialidades que o faz ganhar moral com o treinador na seleção.

MUDANÇAS

As duplas de laterais esquerdos presentes em convocações do Brasil mudaram bastante nas últimas Copas Américas a ponto de nunca se repetirem. Em 2011, Mano Menezes levou para a Argentina a dupla André Santos e Adriano. Quatro anos depois, Dunga convocou Filipe Luís e Geferson, na época destaque do Inter. Já na edição de 2016, novamente Filipe Luís foi chamado, mas teve como reserva imediato Douglas Santos, então jogador do Atlético-MG.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.