Divulgação
Divulgação

Alexandre Gallo é anunciado como técnico da Ponte Preta

Equipe campineira vive crise no início da temporada

Estadão Conteúdo

22 de fevereiro de 2016 | 18h50

Alexandre Gallo é o novo técnico da Ponte Preta. O treinador, que estava desempregado desde que deixou o comando da seleção sub-20 do Brasil, chega ao Moisés Lucarelli para ocupar o lugar de Vinicius Eutrópio, demitido após um início ruim no Campeonato Paulista. O interino Felipe Moreira ainda deve comandar o time diante do Audax, na quarta-feira, pela sexta rodada do Paulistão.

Gallo, anunciado nesta tarde pela Ponte Preta, foi a opção escolhida após a negativa de Eduardo Baptista, técnico do Fluminense, que é o sonho de consumo da diretoria, mas que pretende cumprir seu compromisso com o time carioca.

Felipe Moreira, que comandou a Ponte no empate sem gols com o São Bento, domingo, esteve à frente do elenco no treino desta segunda-feira. Por isso, dificilmente, Gallo vai estrear nesta rodada, embora o time esteja numa situação delicada na tabela de classificação.

Em cinco jogos, a Ponte ainda não venceu. Foram três empates e duas derrotas. Com três pontos, a equipe de Campinas ocupa a lanterna do Grupo D e a penúltima posição geral, só na frente do Capivariano, com um ponto.

CARREIRA

Com 48 anos, Gallo começou a carreira no Villa Nova-MG em 2004, chegando à Portuguesa no ano seguinte. Renomado no futebol brasileiro ainda da época de jogador, ele assumiu o Santos em 2005, mas não conseguiu emplacar. De lá, passou ainda por Sport, Internacional, Figueirense, Atlético-MG, Bahia, Santo André, Náutico e Avaí.

"Estou muito feliz e ciente do momento do time. Chegamos para trabalhar duro para recolocar a Ponte numa posição que condiz com uma das maiores forças do futebol paulista da atualidade", disse Gallo. Experiente, ele entrou em rota de colisão com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no início de 2015 e acabou deixando as categorias de base da seleção.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.