Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Alexandre Pato pode ir para a Fiorentina, dizem jornais italianos

Clube estaria interessado no atacante que atua no São Paulo depois de ter sido emprestado pelo Corinthians

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2014 | 15h53

Alexandre Pato, do São Paulo, pode voltar à Itália no ano que vem. Segundo os jornais do país, a Fiorentina está interessada em contratar o atacante na reabertura da janela de transferências, em janeiro. De acordo com o jornal "La Repubblica", com a provável negociação do esloveno Ilicic para o Bayer Leverkusen, o dinheiro arrecadado poderia ser reinvestido na aquisição de Pato. O "La Nazionale", de Florença, diz que a Fiorentina quer Pato por empréstimo de seis meses. Outros atacantes que estariam na lista do clube seriam Giovinco, do Juventus, Pazzini, do Milan, e Luis Muriel, do Udinese.

Por outro lado, os dois veículos ressaltam a dificuldade de negociação já que o empréstimo do atacante do Corinthians ao São Paulo dura até dezembro de 2015. A diretoria do Corinthians afirma que ainda não foi procurada. A Fiorentina enfrenta dificuldades com seu setor ofensivo. Os italianos Giuseppe Rossi e Bernardeschi estão machucados, e o alemão Mario Gomez ainda rende abaixo das expectativas. 

Alexandre Pato está em férias no Havaí, onde se encontrou com Gabriel Medina na quarta-feira. Na semana passada, antes de viajar, o atleta fez todos os exames médicos no clube do Morumbi.


O jornal "Gazzetta dello Sport" lembra os problemas físicos que Pato enfrentou pelo Milan. O jornal define o brasileiro como uma incógnita. Quando atuou pelo Milan, conquistou um Campeonato Italiano (2010/11) e uma Supercopa da Itália (2011). No total, foram 150 jogos e 63 gols pelo clube italiano. 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBrasileirãoSão Paulo FCPato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.