Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Alisson contém euforia na seleção: 'Foi um degrau, faltam mais dois pela frente'

Goleiro teve pouco trabalho no tempo regulamentar e defendeu uma cobrança de pênalti

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2019 | 04h30

O Brasil aguarda agora pelo confronto entre Venezuela e Argentina desta sexta-feira, às 16h, no Maracanã, para saber quem enfrentará na semifinal da Copa América. Os jogadores da seleção, depois de uma sofrida vitória sobre o Paraguai nos pênaltis, disseram que ainda não dá nem para pensar na próxima fase. 

"O próximo adversário... As nossas vitórias estão sendo muito sofridas. Agora é o momento de desfrutar e valorizar toda a entrega. Quando voltarmos aos treinos e começarmos a preparação, vamos pensar no adversário. Como falamos internamente, temos de pensar passo a passo. Vai ter barreira muito difícil seja quem for", disse Daniel Alves.

O goleiro Alisson participou pouco da partida. A seleção brasileira dominou o adversário nas quartas de final. Na etapa final, ficou em vantagem após a expulsão de Balbuena e praticamente ocupou o campo do adversário. Alisson teve de trabalhar de fato na disputa de pênaltis. Ele pegou a primeira batida paraguaia. 

"Meus companheiros fizeram a parte deles nas cobranças. É uma geração de jovens, mas que assume a responsabilidade. Para mim teve um gostinho especial por estar jogando na minha cidade. Pude sentir o carinho da torcida durante todo o jogo", disse.

Sobre a próxima fase, comentou: "Temos que agradecer aos torcedores que nos apoiaram. Importante também que mantivemos a calma nas penalidades. Seguir trabalhando. Foi um degrau. Tem mais dois pela frente", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.