Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Aliviado, Castán diz que temporada serviu de aprendizado ao Vasco

Equipe cruzmaltina só escapou do rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro

Estadão Conteúdo

03 Dezembro 2018 | 16h42

De volta ao futebol nacional após seis anos na Itália, Leandro Castán não teve o retorno desejado. O zagueiro conviveu com o risco de rebaixamento durante todo o período em que atuou pelo Vasco e admitiu que a sensação ao fim do Campeonato Brasileiro, mesmo com o encerramento do torneio, não é de alegria, mas apenas de alívio com a manutenção na elite.

Castán apontou que sonhava com a briga por título quando se transferiu para o Vasco. Mas como não foi possível, o zagueiro espera que os erros cometidos em 2018 sejam corrigidos para que a equipe tenha chances de ser campeão.

"Eu estou aliviado, não feliz. Quando aceitei o convite do Vasco, minha ideia era brigar por títulos, mas infelizmente não conseguimos somar pontos no decorrer da competição e acabamos brigando na parte inferior da tabela. Foi uma temporada que serviu de aprendizado. É agora de identificar os erros e corrigi-los, pois o Vasco é um clube muito grande para ficar brigando para não cair", disse.

Castán avaliou que a pressão sobre os times grandes é maior quando estão envolvidos na disputa contra o rebaixamento no Brasileirão. Por isso, exaltou a garra de seus companheiros para ao menos segurar o empate com o Ceará por 0 a 0, domingo, no Castelão, um resultado que deixou a equipe na 16ª posição.

"Não é fácil vestir uma camisa tão pesada como essa e ficar brigando lá embaixo para não cair, mas com todas as dificuldades, com todas as limitações, nosso time foi muito valente. Lutamos em todas as partidas, brigamos até o fim aqui no Castelão, e graças a Deus conseguimos esse ponto que selou nossa permanência. Agora vamos procurar fazer com que a próxima temporada seja de vitórias para o Vasco", comentou o zagueiro, que tem contrato com o clube carioca até o fim de 2019.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.