Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Aliviado, Tite diz que vai tomar caipirinha para comemorar: 'Hoje eu me permito'

Treinador demonstra mais tranquilidade após vitória do Brasil sobre a Sérvia

Almir Leite e Ciro Campos, enviados especiais / Moscou, O Estado de S.Paulo

27 Junho 2018 | 19h18

O técnico Tite falou que iria tomar uma caipirinha para celebrar a vitória da seleção brasileira sobre a Sérvia por 2 a 0 e a consequente classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia. Aliviado com a vitória e a evolução da equipe, o treinador se disse em paz após a equipe ter cumprido a missão. "Hoje eu me permito", disse na entrevista coletiva no Spartak Stadium, que começou cerca de uma hora depois do encerramento da partida.

+ Marcelo sofre 'espasmo' na coluna e é dúvida para encarar o México

+ Eleito melhor do jogo, Paulinho rebate críticas: 'Nunca perdi a minha confiança'

Na resposta de Tite estava embutida a revelação de uma apreensão que tomou conta da comissão técnica, por causa do rendimento aquém da equipe nos dois primeiros jogos em relação à expectativa que foi criada. "Essa equipe criou expectativa alta porque arrebentou em toda a fase de classificação, nos amistosos e nos amistosos recentes", reconheceu o treinador.

Mas nos dois primeiros jogos as coisas não saíram como o esperado, e Tite tem uma explicação. "Mundial é novo ciclo. Queria que arrebentasse como arrebentou no segundo tempo contra a Croácia e contra a Áustria, mas a Copa tem uma característica diferente."

Tite admitiu que Neymar mostrou uma grande evolução na partida contra os sérvios, mas se manteve fiel a seu estilo de não destacar um único jogador e sim todos os que fazem parte do grupo. "Tem uma série de atletas que vão definir e ser protagonistas. O Gabriel Jesus fez dois gols no primeiro jogo, contra o Equador, foi protagonista. O Paulinho era o artilheiro da equipe até então, protagonista. O Marquinhos, o Thiago Silva, o Miranda pela regularidade...''

O treinador preocupou-se especialmente em sair em defesa de Gabriel Jesus, que novamente não teve uma boa atuação. "Artilheiro vive de fazer grande jogo. Por vezes a bola terminal surge para ele. Por vezes, uma bola parada que o Thiago faz. Futebol é assim. Essas coisas que nos fazem refletir, pensar. Ele tem essa condição.''

 

Mas Tite reconheceu que Roberto Firmino, o substituto direto de Jesus, está em grande fase e merecia uma chance. Mas não garantiu que ela virá. "Uma das coisas que mais doi é deixar jogador de qualidade fora. O Firmino."

Embora temnha visto evolução na seleção, Tite entende que a maneira de jogar da Sérvia também favoreceu. "Foi a equipe que mais propôs jogar contra nós, a Sérvia. Foram mais do que dois terços de domínio e de controle. A agressividade da Sérvia foi pela qualidade dela, ela tem jogadores técnicos e de imposição física."

Sobre o México, adversário da próxima segunda-feira em Samara, Tite disse que iria começar a pensar depois. Mais precisamente durante o voo que levaria a seleção de volta a Sochi, ainda na noite desta quarta-feira pelo horário brasileiro, mas já madrugada de quinta-feira na Rússia.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.