Lucas Uebel/Grêmio FBPA/Redação
Lucas Uebel/Grêmio FBPA/Redação

Aliviados com vaga na final do Gaúcho, atletas gremistas focam a Libertadores

O time de Renato Gaúcho tem jogo decisivo contra o Rosário Central na quarta-feira

Redação, Estadão Conteúdo

07 de abril de 2019 | 19h42

Não só pela vitória e pela confirmação da vaga na decisão do Campeonato Gaúcho, os jogadores do Grêmio estavam aliviados após o triunfo em cima do São Luiz, por 3 a 0, neste domingo à tarde, na Arena Grêmio. De forma quase unânime, os jogadores colocaram o próximo jogo na Copa Libertadores, na quarta-feira, como prioridade, apesar de terem dois Gre-Nais decisivos pela frente na luta pelo título do Gauchão.

Para o capitão Maicon, o momento agora, é de trabalhar jogo a jogo e o próximo vai ser contra o Rosario Central, de novo na arena gremista, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores. "É uma competição que a torcida sonha e a gente também. E precisamos reagir, porque só temos um ponto até agora. Nós vivemos um momento ruim e na fomos bem em alguns jogos na Libertadores, mas todos passam por isso. Tenho certeza de que vamos nos recuperar", analisou o capitão.

A palavra aliviada também esteve na boca do meia Éverton, não só pela vitória como também por ter marcado o terceiro gol. "Sei que não venho jogando bem, mas vou me recuperar. Hoje foi um exemplo disso. Fico aliviado por este jogo, porque vinha ansioso, as vezes acelerando muito as jogadas. A tendência é melhorar", assegurou.

O atacante André, que marcou um gol e deu assistência para outro, também estava muito satisfeito. "Cumprimos nosso objetivo no Estadual. Agora é pensar na Libertadores, porque precisamos nos recuperar", disse. O Grêmio não marcava gols há três jogos, incluindo a Libertadores.

SEM CRISE

O técnico Renato Gaúcho fez questão de enaltecer o trabalho do grupo e o objetivo atingido. "Nossa missão era chegar à final do Gaúcho e conseguimos. Agora é seguir adiante", projetou. Ele aproveitou para desabafar sobre possível crise gerada pelas duas derrotas sofridas na Libertadores. "Como pode ter crise num time que tem o melhor ataque do Brasil (com 38 gols) e sofreu só um gol, tendo a melhor defesa? Nada disso. Só mesmo um momento ruim porque jogamos abaixo do que podemos na Libertadores. Isso eu reconheço. Mas temos todas condições para nos recuperar e buscar a classificação à próxima fase", reforçou.

Renato ratificou também que só marcou mais dias de concentração para "ampliar o período de descanso dos jogadores, inclusive, porque alguns têm filhos pequenos. Além disso, é um critério que eu sempre adotei nas vésperas de jogos decisivos".

Após saber da condição física e médica dos atletas na segunda-feira, o técnico vai decidir a melhor formação para quarta-feira, pela quarta rodada do Grupo H. Na última rodada, o time perdeu por 1 a 0 para a Universidad Católica, no Chile. Tanto Grêmio como Rosario têm um ponto, contra seis da Universidad e nove do líder Libertad, do Paraguai, que venceu seus três jogos.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.