Peter Cziborra/Reuters
Peter Cziborra/Reuters

Allan e Richarlison mudam a cara da seleção e esperam nova oportunidade de Tite

Jogadores entraram no segundo tempo em vitória do Brasil sobre o Uruguai

Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2018 | 20h34

As entradas do atacante Richarlison e do volante Allan no segundo tempo mudaram a cara do Brasil diante do Uruguai, nesta sexta-feira, em Londres. O primeiro deu velocidade no ataque e o segundo melhorou o ritmo do time no meio de campo. "Procurei dar meu máximo e fazer o que o Tite pede. Espero que tenha agradado", disse Allan, do Napoli, que espera ser mantido nas próximas convocações.

O jogador teve um bom desempenho na vitória por 1 a 0, graças a um gol de pênalti de Neymar, e se mostrou feliz da vida com sua estreia com a camisa amarelinha. "Foi um sonho de criança estrear pela seleção. Comecei com o pé direito e estou muito feliz. Na hora que fui entrar no gramado, passou um filme na cabeça de tudo que já vivi para chegar até aqui", continuou.

Já Richarlison, que poderia ter marcado um gol em passe de Neymar, mas finalizou mal, o foco é permanecer no grupo para depois brigar para ser titular. "Essa sequência que estou tendo é muito importante. Quantos mais jogos eu tiver na seleção, é melhor. No ano que vem tem a Copa América e quero estar dentro", avisou.

Agora os dois já aguardam nova oportunidade nesta terça-feira, quando a seleção vai enfrentar Camarões, novamente em Londres, no último amistoso do ano. "Temos de respeitar, mas vamos com tudo para cima deles para fazer os gols", afirmou Richarlison. "A partir do momento que bota a camisa da seleção sempre tem obrigação de vencer. Precisamos de tranquilidade para sair com a vitória para fechar bem o ano", completou Allan.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.