reprodução/ Twitter
reprodução/ Twitter

Allegri aceita desculpas de Douglas Costa e pede para não crucificá-lo

Atacante foi punido com quatro jogos por cuspir em um adversário em jogo pelo Campeonato Italiano

Estadão Conteúdo

18 de setembro de 2018 | 18h10

Poucas horas depois de o meia-atacante Douglas Costa ter sido punido com uma suspensão de quatro jogos no Campeonato Italiano, em sanção aplicada porque no último domingo o atleta cuspiu em um adversário durante a vitória por 2 a 1 sobre o Sassuolo, o técnico da Juventus, Massimiliano Allegri, deu entrevista coletiva nesta terça-feira, em Valência, e não escapou de falar sobre este assunto. E o treinador confirmou que aceitou o pedido de desculpas feito pelo jogador brasileiro pelo seu ato e, mais do que isso, pediu que "não crucifiquem" o atleta.

O comandante comentou sobre o tema em solo espanhol após chegar para a partida de estreia da equipe italiana na Liga dos Campeões, nesta quarta, às 16 horas (de Brasília), contra o Valencia. Allegri qualificou a atitude polêmica de Douglas Costa como um raro "apagão" e acredita que isso não vai mais ocorrer, até pela própria características do jogador, que costuma ser calmo em campo.

"Estamos perto de Douglas, um menino de ouro, que sempre se comportou bem e perdeu a cabeça por um momento. Ele sabe que estava errado, pediu desculpas e vai pagar isso como deveria ser, mas ele não deve ser crucificado. Certamente isso não acontecerá novamente e esperamos que possa nos ajudar como sempre", afirmou Allegri, garantindo também que conta com o atleta para o jogo no estádio Mestalla.

O técnico deixou claro que não crê em um abalo psicológico de Douglas Costa provocado pela punição no Italiano. "Analisarei se ele tem de estar entre os 11 titulares ou no banco, mas essa será uma decisão técnica. Sinto porque o que ele fez não foi um exemplo bonito para as crianças, mas o primeiro decepcionado com isso é ele", disse.

Capitão da Juventus, Chiellini também deu entrevista coletiva ao lado de Allegri nesta terça e exibiu um discurso parecido com o do treinador. "Douglas Costa é um garoto que neste ano sempre se portou bem, sabe que se equivocou, pediu desculpas e vai pagar pelo que fez, mas não temos de crucificá-lo", enfatizou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.