Divulgação/ Allianz Parque
Divulgação/ Allianz Parque

Allianz Parque atende pedido do MP e cancela evento durante final da Copa do Brasil

Por causa da pandemia, estádio do Palmeiras cancela ação que teria 2 mil pessoas para ver em um telão o jogo contra o Grêmio

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2021 | 14h55

O Allianz Parque anunciou nesta sexta-feira que cancelou o evento previsto para domingo e que reuniria 2 mil pessoas no estádio para a transmissão da final da Copa do Brasil entre Grêmio e Palmeiras. O gestores do estádio atenderam a solicitação do Ministério Público (MP) e desmarcaram qualquer atividade para evitar o risco de contágio do novo coronavírus.

"Lamentamos cancelar o evento, porém diante do agravamento da pandemia entendemos ser essa a decisão correta. Esperamos apenas que outras atividades e casas de evento também se adequem para reduzir o contágio evitando assim que esse seja um esforço isolado", explicou o CEO do Allianz Parque, Claudio Macedo. A arena prometeu devolver todo o dinheiro de quem adquiriu os ingressos.

O planejamento era reunir até 2 mil pessoas distribuídas em 500 mesas espalhadas pelo gramado a uma distância de 2 metros entre si para poder ver a decisão de dentro de um estádio e de olho em um telão. Os ingressos custavam de R$ 360 a R$ 600. A organização garantia que para separar uma mesa da outra, haveria grades e procedimentos de segurança para evitar a aglomeração.

Porém, na quinta-feira o MP entrou em contato com o Allianz Parque e solicitou a mudança do formato do evento. Entre as sugestões discutidas, houve a possibilidade de se reduzir de 2 mil para 1,2 mil pessoas a capacidade máxima ou fazer o evento no formato drive-in, com as pessoas dentro dos respectivos carros. Porém, os gestores da arena preferiram cancelar a atração.

O Allianz Parque explicou que apesar do cancelamento, tudo estava dentro dos parâmetros de segurança exigidos pelo governo, como o distanciamento social, capacidade reduzida e controle de acesso. "O Allianz Parque está constantemente buscando alternativas seguras para manter a indústria do entretenimento viva e abertos ao diálogo para entender como apoiar a retomada gradual dos eventos", disse o CEO do estádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.