Aloísio estuda proposta e admite que pode sair do São Paulo

Atacante tem oferta de um time dos Emirados Árabes Unidos e aguarda resposta do presidente do clube

10 de janeiro de 2008 | 12h50

O atacante Aloísio pode ser o próximo jogador a deixar o São Paulo - até agora, só o zagueiro Breno saiu. Ele admitiu, em entrevista coletiva nesta quinta-feira no CCT da Barra Funda, que tem uma proposta de um time do exterior (cogita-se que seja dos Emirados Árabes Unidos), reconhece o interesse e aguarda uma definição do presidente Juvenal Juvêncio para resolver o futuro.Aos 33 anos, o atacante são-paulino é quem está conduzindo a negociação. "Meu empresário e agente sou eu mesmo. Pela idade que tenho, acho que não preciso mais disso [empresário para cuidar dos negócios]. É só o São Paulo contratar um advogado e eu estando presente na hora do acerto para assinar, está bom", diz, garantindo não estar ansioso. "A hora que eles decidirem vão me chamar. O nome não sei, se fosse aqui do Brasil era mais fácil".O temor de não receber o salário prometido ou de não cumprirem promessas com o ele não o assusta. "A Arábia não assusta porque joguei seis anos na Europa. Pior é na Rússia, com neve e frio. Eu já realizei o sonho de jogar no exterior, mas quando a proposta é boa, você pensa em voltar. Se você ir pensando em jogar e fazer bom campeonato, vão te pagar. Se você vai só pensando no dinheiro, não te pagam, ficam chateado. Primeiro você tem de fazer gols e jogar para daí receber".Aloísio fala que seu pensamento ainda é ficar no clube. "Falar em deixar o São Paulo não, ainda tenho contrato. Comigo é diferente, tenho mais um ano. Você recebe a oferta e passa para o São Paulo. Se for bom para mim e para o clube, acho que a diretoria decide. Penso em começar o Paulista bem. Estou aqui para treinar e ajudar o Muricy".Sobre uma despedida, Aloísio já fala com saudades. "Graças a Deus. Se for embora, saio com dever cumprido. Quando passar 2005, com o Mundial, vai ter aquela carinha feia ali no meio [risos]".NADA DEFINIDOO supervisor de Futebol, Marco Aurélio Cunha, disse que não há nada decidido, nem sobre Aloísio, nem sobre Leandro - que teria oferta do Verdy Tokyo, do Japão. "O presidente está avaliando o que é melhor e deve falar nos próximos dias. Eu penso sempre nas duas partes. Ambos são importantes para o futebol. Ele [Aloísio] é difícil de substituir como pessoa, mas para o futebol já tem 32 anos e se for algo que traga um ressarcimento para o clube e seja bom para ele, não vejo problema."Já o diretor de Futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, fala que não há proposta oficial, em entrevista à rádio Eldorado/ESPN. "Não recebemos nada. Ao São Paulo ainda não mandaram uma oferta. Estamos analisando num clima de expectativa, falaram com ele e sobre ele. O atleta resolve primeiro se quer e depois resolvemos."Atualizado às 13h48 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCAloísioPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.