Altitude preocupa a seleção no México

Só os efeitos da altitude podem fazer com que Ricardo Gomes mude o time do Brasil para a final da Copa Ouro. Se nenhum titular tiver problema no reencontro com os 2.300 metros de altura da Cidade do México, a equipe será a mesma que começou jogando contra a Colômbia e os Estados Unidos, ainda em Miami. "Não tem motivo para mudar nada depois de uma atuação como a que tivemos quarta-feira. Se eu mexesse na escalação poderia até diminuir o moral do time e cortar o embalo", justificou o técnico.A altitude é uma preocupação para a comissão técnica. Ricardo Gomes tem certeza de que a seleção Sub-23 não conseguirá repetir o ritmo que exibiu nas duas últimas partidas, disputadas ao nível do mar. "É impossível repetir na Cidade do México a dinâmica de jogo que mostramos em Miami, ainda mais que a final será ao meio-dia. Os meninos vão se doar ao máximo em campo, mas vai ser complicado."O preparador físico Luiz Otávio disse que a queda de rendimento será inevitável, mas acredita que mesmo assim o desempenho dos jogadores será superior ao mostrado nos jogos contra México e Honduras na primeira fase. Ele argumenta que a condição física dos jogadores está melhor do que no início da competição e que a motivação de disputar uma final servirá de "combustível" para o time.Para minimizar os efeitos da altitude, o ideal, segundo Luiz Otávio, seria viajar para o México apenas sábado de manhã. Mas aí o problema seria o desgaste provocado pela viagem. "O vôo de Miami para a Cidade do México dura em torno de duas horas e meia, não é muito longo. Mas é preciso contar umas duas horas do momento em que sairmos do hotel até embarcar, mais quase uma hora para conseguir deixar o aeroporto na Cidade do México e mais ou menos uma hora para chegar ao hotel se o trânsito estiver pesado. Nessa brincadeira vão quase seis horas", calculou o preparador físico.Como não haverá muito tempo para trabalhar, o principal será fazer o grupo descansar bastante até a hora da final. Nesta quinta-feira, depois que terminou o período de folga, os jogadores fizeram relaxamento em banheira gelada, sauna e massagens. Na sexta haverá uma sessão de hidroginástica na piscina do hotel, às 9h. A delegação deve chegar às 18h (20h de Brasília) na Cidade do México.No sábado haverá um treino leve - no CT do América ou no estádio Azteca, ainda não está definido - e depois vai todo mundo descansar para o jogo decisivo de domingo.

Agencia Estado,

24 de julho de 2003 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.