Amauri pede respeito por querer jogar pela Itália

Amauri pede respeito por querer jogar pela Itália

O atacante brasileiro Amauri pediu que respeitem o seu desejo de defender a seleção italiana. A declaração do jogador da Juventus foi uma resposta aos atletas que criticaram a sua eventual convocação para disputa da Copa do Mundo da África do Sul. "Se mereço a seleção, porque me excluir?", questionou.

AE, Agência Estado

12 de abril de 2010 | 09h54

"Não roubo a vaga de ninguém se sou convocado. O esporte é mérito. Convido a todo mundo a observar bem a Itália, aos que trabalham nas cozinhas, nas fábricas, nos hospitais", afirmou, em entrevista ao jornal italiano La Repubblica. "Quem cura os idosos, as crianças? Quem limpa as casas? Estrangeiros, gente que vem de fora porque sonhava com outro tipo de vida", completou.

Amauri tem 30 anos e está desde 2001 na Itália, onde defendeu Parma, Napoli, Piacenza, Messina, Chievo e Palermo antes se ser contratado pela Juventus. Nesse momento, ela aguarda o recebimento dos documentos para confirmar sua naturalização. "Fui um jovem com uma mala por tanto tempo, agora escolhi um país, como homem e jogador", expressou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolItáliaAmauri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.