EFE
EFE

Ambição do pai de Neymar afasta atacante do PSG

Estafe do jogador do Barcelona pede salário anual de R$ 136 milhões, sem impostos

O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2016 | 10h12

De acordo com o jornal francês L’Équipe, em sua edição desta terça-feira, Neymar esteve bem perto de se transferir para o Paris Saint-Germain, de Thiago Silva e Lucas, antes de renovar seu vínculo com o Barcelona até 2021. O atacante recebeu oferta de R$ 645 milhões para mudar de time, e disse não. Neymar foi influenciado pelos conselhos de seu pai, que cuida de sua carreira desde que ele começou no Santos. Na verdade, a pedida do estafe do jogador passou dos limites do time francês.

"Ele foi traído pela ambição do pai", escreve o periódico. O valor oferecido representava a multa rescisória de seu contrato com o clube espanhol. Para segurá-lo em Barcelona, a diretoria aumentou seu salário anual, chegando a R$ 52 milhões, e ainda lhe ofereceu um jatinho particular e mais uma rede de hotéis em seu nome.

O PSG, um dos clubes mais ricos do mundo, não aceitou pagar o que o pai de Neymar pediu pela transferência. Ele solicitou salário de 40 milhões de euros (R$ 136 milhões) por ano e que o clube assumisse os impostos fiscais no país, perto de R$ 153 milhões por ano. De acordo com a reportagem, a diretoria do PSG não aceitou arcar com a fatia do leão. O negócio foi abortado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.