Manu Fernandez / AP
Manu Fernandez / AP

Ameaçado, Lopetegui diz estar tranquilo para dirigir Real na Liga dos Campeões

Técnico garante que equipe irá lutar para reverter situação ruim das últimas partidas

Estadão Conteúdo

22 de outubro de 2018 | 10h38

Sétimo colocado no Campeonato Espanhol com 14 pontos, quatro atrás do líder Barcelona, com quatro vitórias, dois empates e três derrotas, sendo a última diante do Levante em pleno estádio Santiago Bernabéu, em Madri, no último sábado. Mesmo assim, o técnico Julen Lopetegui busca passar um clima de tranquilidade no Real Madrid na véspera do confronto em casa contra o Viktoria Plzen, da República Checa, pela terceira rodada da Liga dos Campeões da Europa.

"Eu vejo tudo de uma forma muito mais normal. Encaro o dia a dia com a normalidade de sempre, eu entendo que temos uma forma de fazer as coisas e é a única coisa que está sob nosso controle. Se você quiser ver um treinador afundado ou abatido não olhe para mim. Pelo contrário, eu estou com o máximo de entusiasmo e com vontade de vencer nesta terça-feira fazendo uma grande partida", disse o treinador, em entrevista coletiva.

Lopetegui tentou passar uma mensagem de força e de confiança na busca de uma reação imediata dos jogadores para poder continuar no comando do Real Madrid. Posição que ficou muito ameaçada após a derrota, em casa diante do Levante, pela nona rodada do Campeonato Espanhol.

"O que eu aprendi neste clube é que é preciso lutar, é o DNA do Real Madrid. Vamos lutar por reverter uma situação que não é a melhor, mas estamos cientes de que estamos na hora de reverter isso e vamos lutar para fazer conseguir isso neste próximo jogo", disse Lopetegui.

O treinador só perdeu o controle quando perguntado se estaria no banco do Real Madrid no clássico do próximo domingo contra o Barcelona, no estádio Camp Nou, em Barcelona. "Eu não posso dizer o que vai acontecer daqui um mês ou daqui um ano. Nós estamos concentrados no presente. Se estou aqui é porque irei dirigir o time nesta terça-feira. Não há dúvidas".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.