Eduardo Saraiva/Estadão
Eduardo Saraiva/Estadão

Ameaçado no Santos, Ricardo Oliveira diz que meta é a artilharia

Atacante pode ser barrado com o retorno de Gabriel, mas mantém promessa feita ao chegar à Vila de ser o goleador do Paulistão

SANCHES FILHO, Estadão Conteúdo

20 de fevereiro de 2015 | 20h48

Jogador mais ameaçado de perder o lugar no time do Santos com o retorno de Gabriel, Ricardo Oliveira mantém a promessa que fez ao ser apresentado como segundo reforço do clube, no mês passado: ser o artilheiro do Campeonato Paulista. Ele afirma que falta pouco para começar a fazer gols.

"Como atacante sou ambicioso e nunca perco meu foco. Estou crescendo dentro do coletivo e me sentindo à vontade. Meu objetivo é marcar muitos gols para o Santos continuar somando pontos'', disse Ricardo Oliveira nesta sexta-feira. "Só falta caprichar no último momento da finalização.''

Depois de participar de cinco jogos - três como titular - e marcar apenas um gol, numa cobrança de pênalti contra o Red Bull Brasil, o artilheiro de 34 anos procura controlar a ansiedade para fazer o primeiro gol em jogada trabalhada. "O time está criando muitas oportunidades e tenho certeza de que quando sair o primeiro vou deslanchar. O importante é que não há dúvida quanto à capacidade individual do time.''

Embora procure demonstrar confiança mesmo com o jejum de gols, Ricardo Oliveira sabe que o tempo passa mais rapidamente para ele, que tem até o fim do Campeonato Paulista para provar que ainda é o goleador que encantou os santistas em 2013 e convencer a direção do clube a lhe dar novo contrato. "Essa é uma situação que me interessa muito e acho que o coletivo vai me ajudar nisso (a fazer gol).'' 

O principal obstáculo no retorno ao futebol brasileiro ele considera superado. "Lá (nos Emirados Árabes Unidos) se joga uma vez por semana e senti a diferença porque desde que o Paulista começou esta foi a primeira semana com apenas uma partida. Mas, em compensação, aqui tem a atmosfera no estádio, o calor da torcida, e isso é bom.''

A avaliação de Ricardo de Oliveira é de que as suas atuações têm sido positivas. Ele também considera importante a sua colaboração, a exemplo do que fazem Renato, Elano e Robinho, para ajudar na formação profissional dos garotos da base.

Os conselhos e dicas de Ricardo Oliveira são para o seu principal concorrente na posição, Gabriel. "Ele está sempre próximo. A gente brinca e eu procuro dar bons conselhos, principalmente quanto às finalizações. É uma alegria para mim poder passar um pouco da minha experiência. Gabigol é talentoso, bom bola e tem um futuro promissor. No que eu puder ajudar ele, vou ajudar.''

Com relação à disputa com Gabriel pela posição no ataque santista, Ricardo Oliveira recorre a um chavão para explicar como vê a situação. "É uma briga sadia por posição. Trabalho sempre pensando nas oportunidades que recebo e procuro dar o meu melhor para o time. O time tem que prevalecer. Se o treinador fizer a mudança, vou encarar como normal.''

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCPaulistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.