Ameaçado, Valencia vê Prandelli pedir demissão e fechará o ano sem técnico

Italiano deixa o clube após oito partidas no comando

Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2016 | 17h00

O Valencia confirmou nesta sexta-feira, por meio de comunicado oficial, que o técnico Cesare Prandelli pediu demissão do comando da equipe. O treinador italiano deixa o cargo menos de três meses após assumi-lo, sendo que o time ocupa atualmente apenas a 17ª posição do Campeonato Espanhol, com 12 pontos, empatado com o Sporting Gijón, 18º e que encabeça a zona de rebaixamento da tabela.

Ao oficializar a saída de Prandelli, o Valencia informou que o comandante apresentou sua "renúncia irrevogável como técnico do primeiro time" do clube. Antes disso, o italiano havia substituído o demitido Pako Ayerstarán. Ele chegou a estrear no cargo com uma vitória por 2 a 1 sobre o Sporting Gijón, mas depois amargou uma série de sete partidas sem vitórias no Espanhol.

O Valencia, que desta forma irá fechar o seu ano sem um técnico efetivo, também confirmou que Salvador González "Voro" assumirá novamente o comando da equipe de forma interina, assim como já havia ocorrido anteriormente em três jogos após a demissão de Ayerstarán.

Prandelli dirigiu o Valencia em apenas oito partidas, nas quais acumulou uma vitória, três empates e quatro derrotas. Com a demissão do treinador italiano, Salvador González irá comandar o time contra o Celta, em casa, na próxima terça-feira, pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Rei.

Em seguida, no dia 9 de janeiro, o Valencia terá pela frente o Osasuna, fora de casa, no confronto isolado que fechará a 17ª rodada do Campeonato Espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.