América do Sul abre a Copa de 2006

A América do Sul dá a largada neste sábado à Copa de 2006. A região com maior número de títulos mundiais (9 contra 8 da Europa) inicia, em Buenos Aires, a fase de classificação, que terminará em novembro de 2005 com a indicação de quatro representantes para o torneio na Alemanha. O quinto colocado nas Eliminatórias terá, na repescagem contra o campeão da Oceania, a chance derradeira de garantir lugar entre os 32 concorrentes ao mais cobiçado troféu do esporte. A fórmula de disputa repete a utilizada para a Copa de 2002. Os dez times se enfrentam em turno e returno, no sistema de todos contra todos e por pontos corridos. Depois de 18 rodadas e 90 partidas, carimbam o passaporte os quatro primeiros. Até a seqüência das rodadas é a mesma do Mundial anterior - nada original, mas também sem invenções. Há, no entanto, duas novidades nesta etapa de apuração. A primeira é a antecipação das Eliminatórias da América do Sul. Os cartolas locais preferiam distribuir os jogos por período maior, para facilitar a liberação de jogadores que atuam na Europa. A segunda modificação - mais importante e decidida pela Fifa - fica por conta da obrigatoriedade de o campeão mundial brigar por vaga, fato inédito na história de 73 anos do campeonato. Por isso, o pentacampeão Brasil precisa lutar em campo, como os demais, para ter seu lugar. "É uma decisão equivocada", lamentou Rivaldo, ao falar sobre as Eliminatórias, assim que chegou à Granja Comary, no começo da semana para treinar com a seleção. Crítica afinal inócua, porque a decisão é irreversível, pelo menos para a escolha dos que estarão presentes na Alemanha, em 2006. A Argentina abre a série, ao receber o Chile, em Buenos Aires, às 16 horas. Em seguida, jogam Equador x Venezuela e Peru x Paraguai. No domingo, é a vez de o Uruguai entrar em campo, no estádio Centenário, contra a Bolívia, pouco antes do duelo entre Colômbia e Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.