América-MG perde mas é campeão

Mesmo tendo sido derrotado por 3 a 1 pelo Atlético, neste domingo, no Mineirão, o América sagrou-se campeão mineiro. Como o time do técnico Lula Pereira, que saiu da vice-lanterna do campeonato estadual para chegar à decisão, havia goleado o adversário no primeiro confronto da final por 4 a 1, podia perder por até dois gols de diferença. Depois de um jejum de oito anos, a equipe americana chega ao título com um elenco formado por jogadores revelados no próprio clube - a única exceção é o goleiro Fabiano. O início do jogo atrasou 25 minutos em razão da catimba feita pelos dois times. Os americanos recusaram-se a entrar em campo, alegando que deveriam se posicionar no banco de reservas à esquerda das cabines do Mineirão, onde os atleticanos já estavam acomodados. Superado o primeiro desentendimento, o goleiro Velloso ainda bateu boca com um dirigente do América que estava dentro de campo.Com a partida em andamento, o Atlético, em busca do tricampeonato, tentou pressionar o adversário, mas, nos minutos iniciais, sofreu pelo menos dois contra-ataques perigosos. Aos poucos, no entanto, foi impondo o ritmo de jogo e fez o primeiro gol aos 12 minutos. Guilherme, derrubado na área, cobrou bem o pênalti, sem chance para Fabiano. Sempre tentando o ataque pela ponta, com Marques, o Atlético esteve perto do segundo gol pouco depois de abrir o placar, também com Guilherme.O árbitro Paulo César de Oliveira expulsou um jogador de cada lado, nos dez minutos finais da primeira etapa - Edson e Luís Carlos. No segundo tempo, o Atlético voltou ainda mais determinado a tirar a desvantagem no número de gols.O segundo gol saiu aos 10 minutos. Depois de uma confusão na área e duas boas defesas de Fabiano, a bola sobrou para Gilberto Silva, que empurrou para as redes - 2 a 0. A torcida empolgou o time atleticano, que fez o terceiro aos 17. Guilherme chutou de forta da área a a bola sobrou para Lincoln, que bateu na saída do goleiro.O América queria evitar a disputa de pênaltis e não se entregou. Então, aos 31 minutos, Alessandro, que havia entrado no lugar de Carlos Alberto, recebeu cruzamento na área e fez um belo gol, com um chute no ângulo: 3 a 1. Aos 40 e aos 43, o goleiro Fabiano ainda fez grandes defesas e garantiu o resultado.Os minutos finais da partida foram praticamente na escuridão. Em razão do atraso inicial do jogo, o sol se pôs e os refletores do Mineirão foram apenas parcialmente acesos, em razão do plano nacional de racionamento e energia. Nada que estragasse a festa do América.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.