Norberto Duarte/AFP
Norberto Duarte/AFP

América-MG protagoniza virada épica e se classifica na Libertadores nos pênaltis

Guarani-PAR não soube aproveitar vantagem, esperou o time brasileiro no segunda etapa e acabou surpreendido

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2022 | 22h19

Com requintes de crueldade, o América-MG carimbou a classificação para a terceira fase da Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, o time mineiro protagonizou uma virada épica para cima do Guaraní-PAR por 3 a 2, em pleno estádio Defensores del Chaco, e levou a melhor nas cobranças de pênaltis, com Jailson defendendo a cobrança de Roberto Fernández e Everaldo, um dos destaques do duelo, confirmando a vaga.

O Guaraní teve a 'faca e o queijo na mão', mas deixou a classificação escapar entre os dedos em diversas oportunidades. Após abrir 2 a 0 no primeiro tempo, o time paraguaio ficou esperando o América na segunda etapa, se acomodou e viu o adversário virar nos minutos finais. Nos pênaltis, teve nova chance de liquidar a fatura, mas o goleiro Vásquez desperdiçou a cobrança decisiva.

Com isso, a primeira participação do América na Libertadores já passa a ser marcante. O time mineiro perdeu em Belo Horizonte ao sofrer um gol nos minutos finais do duelo, chegou a ver o sonho da classificação ficar longe, mas, na base da superação, virou e, além de avançar, acumulou quase R$ 3 milhões em premiação.

Nos pênaltis, o goleiro Jailson viu a bola de Bareiro pegar efeito, após fazer a defesa, e parar no fundo das redes, contou com a sorte quando Vásquez jogou na trave, e Rodi Ferreira isolou. O arqueiro, então, deixou o América perto da vaga ao segurar o arremate de Roberto Fernández. Do lado mineiro, Henrique Almeida e Patric desperdiçaram as suas cobranças.

Sem jogo do Campeonato Mineiro no último final de semana, o América teve sete dias para trabalhar especificamente para o duelo da Libertadores. No entanto, o que se viu no primeiro tempo foi um time apático, um tanto quanto nervoso e que não ficou em nenhum momento próximo de conquistar a classificação.

Empurrado por seus torcedores, o Guaraní construiu a classificação nos primeiros 15 minutos. Logo de cara, Benítez partiu em velocidade e foi derrubado por Éder, pênalti. Fernando Fernández deslocou Jailson e chutou rasteiro para fazer 1 a 0.

O gol desestabilizou o time mineiro. Em sua primeira Libertadores, apesar de ter no elenco jogadores experientes, o América sofreu um 'apagão' e viu Marcos Cáceres ampliar aos 14 minutos. Após cobrança de escanteio, o zagueiro subiu sozinho para tocar de cabeça para o gol.

Com grande vantagem construída nos minutos iniciais, o Guaraní deu a bola para o América, que chegou a ter 77% de posse de bola, mas sem conseguir ameaçar. No fim do primeiro tempo, o time mineiro teve a melhor chance com Marlon, mas o lateral ficou na defesa do goleiro Vásquez.

No segundo tempo, o panorama mudou por completo. O Guaraní se acomodou e o América foi com tudo para cima e contou com o faro de gol e a experiência de Wellington Paulista para recolocar o clube mineiro na partida. Aos 13 minutos, após cobrança de falta, a bola ficou viva na área da equipe paraguaia, o atacante aproveitou a sobra para fazer 2 a 1.

Após diminuir o marcador, Marquinhos Santos tirou o zagueiro Éder, colocou o atacante Everaldo e jogou o time no ataque. Aos 29 minutos, o América deixou tudo igual. Everaldo fez boa jogada pela direita e cruzou na medida para Wellington Paulista, de cabeça, fazer o seu sétimo gol com a camisa do clube mineiro na temporada.

O América, que havia feito um primeiro tempo terrível, fez um segundo espetacular, partiu para cima e fez o terceiro aos 47 minutos. Em grande lance individual, Everaldo colocou a bola para dentro da área. Pedrinho ficou com a sobra e tentou duas vezes para fazer um golaço. A bola ainda bateu nas costas do goleiro Vásquez. O jogo acabou indo para os pênaltis.

Nas cobranças, Ayala, Wellington Paulista, Ortíz, Iago Maidana e Ángel Benítez converteram. Henrique Almeida mandou a bola no travessão, enquanto Bareiro viu Jailson defendeu e a bola caprichosamente ir para dentro do gol. Juan Ramírez recolocou o América no jogo e o goleiro Vásquez, no pênalti decisivo, jogou na trave.

Nas alternas, Rodi Ferreira isolou, Patric, que poderia dar a classificação para o América, parou em Vásquez. Já Roberto Fernández teve o pênalti defendido por Jailson. Na segunda chance de vencer o duelo, Everaldo marcou. A bola bateu na trave e acabou no fundo das redes.

FICHA TÉCNICA

GUARANÍ 2 (4) X (5) 3 AMÉRICA-MG

GUARANÍ - Vásquez; Julio González, Marcos Cáceres, Roberto Fernández e Guillermo Benítez (Rodi Ferreira); Rodrigo Fernández, Mendoza (Angel Benítez), Marcelo González (Ayala) e Ortíz; Colmán (Samudio) e Fernando Fernández (Bareiro). Técnico: Fernando Jubero.

AMÉRICA-MG - Jailson; Patric, Iago Maidana, Éder (Everaldo) e Marlon (Rodolfo); Lucas Kal, Juninho e Alê (Juan Ramírez); Matheusinho (Henrique Almeida), Wellington Paulista e Felipe Azevedo (Pedrinho). Técnico: Marquinhos Santos.

GOLS - Fernando Fernández, aos 12, e Marcos Cáceres, aos 14 minutos do primeiro tempo. Wellington Paulista, aos 13, e aos 29 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Facundo Tello (ARG).

CARTÕES AMARELOS - Roberto Fernández, Rodi Ferreira, Rodrigo Fernández e Mendoza (Guaraní); Éder, Felipe Azevedo e Iago Maidana (América-MG).

LOCAL - Defensores del Chaco, em Assunção (PAR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.