América-MG reinaugura o Independência com vitória

Depois de dois anos e 11 adiamentos, o Estádio Raimundo Sampaio, o Independência, foi reinaugurado nesta quinta-feira com um amistoso entre o América-MG e o Argentino Juniors. Este foi o primeiro jogo realizado em Belo Horizonte desde 6 de junho de 2010, quando o Mineirão foi fechado para as reformas para a Copa do Mundo de 2014, pois o chamado Gigante do Horto, em referência ao bairro da capital mineira onde está a arena do América, já estava fechado.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

26 Abril 2012 | 00h31

A partida desta quarta, que também celebrava o centenário da equipe mineira, contou com a participação do atacante Euller, o "Filho do Vento", revelado pelo América-MG em 1988 e que anunciou a aposentadoria no fim do ano passado.

Apesar de as celebrações serem alviverdes, por pouco não são os argentinos que fazem a festa, pois os visitantes abriram o marcador e deram bastante trabalho para os donos da casa vencerem por 2 a 1, de virada.

As obras no Independência, que foi praticamente todo demolido, tiveram início em janeiro de 2010 e a previsão era de que o estádio fosse reinaugurado em dezembro do mesmo ano. Assim como o prazo para a conclusão dos trabalhos, o custo da obra também extrapolou o que havia sido previsto e saltou de R$ 44 milhões para R$ R$ 148 milhões. Mas quem visitou a arena gostou do que viu e o objetivo do governo é que, durante o Mundial de 2014, o estádio seja usado como Centro Oficial de Treinamento (COT) pelas seleções que vão disputar a competição.

Após análise dos laudos técnicos, o Ministério Público Estadual (MPE) liberou o estádio para 23 mil torcedores, mas 6 mil lugares permaneceram fechados porque têm a visibilidade prejudicada pelo guarda-corpo. "Ficou muito bom. Deve ser escolhido como centro de treinamento. O Ricardo está olhando isso", disse Weber Magalhães, vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), referindo-se ao vice-presidente do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, Ricardo Trade, que também acompanhou a partida no Independência. "O estádio que agora está sendo entregue foi reconstruído dentro dos requisitos da Fifa", declarou o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB).

JOGO - Apesar de ser um amistoso, os argentinos pareciam dispostos a estragar a festa alviverde. Empurrados pela torcida, os donos da casa mantiveram pressão todo o tempo, mas, na maior parte do primeiro tempo, quando o time passava pela defesa adversária, pecava nas finalizações. Já os visitantes mantiveram marcação cerrada e, apesar de evitarem se arriscar muito, aproveitaram todas as brechas com contra-ataques rápidos e bom toque de bola para avançar sobre os anfitriões. E foi num desses que o atacante Balsas silenciou o estádio ao abrir o marcador com o primeiro gol oficial na nova arena.

O gol parece ter ajustado a mira dos jogadores do América-MG e na primeira oportunidade que teve na sequência, Alessandro acertou uma bomba de fora da área e empatou. Logo depois, o mesmo Alessandro aproveitou cobrança de escanteio e pôs o América na frente ainda na primeira etapa.

Os dois times voltaram para o segundo tempo com menos disposição e, compostas principalmente de reservas, criaram menos chances reais de gol. Com a queda no ritmo, um dos momentos de maior emoção para a torcida, fora algumas poucas exceções, foi quando Euller deixou o campo sob aplausos e o jogo foi encerrado com o placar definido na primeira etapa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.