Paulo Whitaker|Reuters
Paulo Whitaker|Reuters

'Herói' palmeirense, Fabiano combinou de festejar títulos juntos

Lateral do clube paulista atuou pela Chapecoense em 2015

Daniel Batista e Gilberto Amendola, enviados especiais a Chapecó, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2016 | 18h42

No domingo passado, o lateral-direito Fabiano viveu a maior alegria de sua carreira. Marcou o gol da vitória do Palmeiras por 1 a 0 sobre a Chapecoense, no Allianz Parque, resultado que deu o título do Campeonato Brasileiro para a equipe paulista. Horas depois, a dor. Ele ficou sabendo que o avião da delegação da Chapecoense, seu ex-clube, caiu na Colômbia e muito de seus amigos morreram. Entre eles, o goleiro Danilo, com quem o palmeirense tinha uma relação bem próxima.

Fabiano foi até Chapecó para participar da homenagem feita aos falecidos, na quarta-feira, quando a Arena Condá lotou para lembrar dos ídolos. O jogador do Palmeiras lembrou que havia combinado com Danilo uma comemoração dupla no final do ano.

"O Danilo era muito meu amigo. Há três semanas, a gente se encontrou, jogamos futevôlei e falava direto com ele. No domingo, fiz o gol mais importante da minha vida, depois do jogo, conversamos, ele me deu parabéns e disse que eu iria torcer pela Chapecoense, para comemorarmos nossos títulos no final do ano", disse o lateral, que parava diversas vezes de falar, por causa da emoção.

Danilo chegou a ser resgatado com vida, mas faleceu horas depois. Fabiano lembra que foram momentos de agonia. "A gente ficou torcendo para que ele pudesse sair dessa. No momento que tivemos a notícia, não acreditava", recordou, com os olhos cheios de lágrima.

O jogador palmeirense passou pela Chapecoense entre 2009 e 2014 e deixou muitos amigos no clube. "Eu trocaria tudo de bom que aconteceu comigo para que essas pessoas pudessem voltar. Esses atleta eram amigos e se pudesse voltar, eu gostaria de abrir mão de tudo para ver eles buscarem seus sonhos", falou.

O lateral, que estava em casa no momento que ficou sabendo da tragédia, contou que teve um choque quando soube da notícia e uma crise de choro. Como o elenco do Palmeiras estava de folga, ele aproveitou a oportunidade para viajar e ficar próximo dos familiares. "Ficam as lembranças boas. Acho que, para diminuir a dor, é importante lembrar das coisas boas e que eram pessoas de caráter. Agora é o momento de dar força para as famílias", alertou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.