André Lucas Almeida/Futura Press
André Lucas Almeida/Futura Press

Amigo de Muricy, Carlinhos prega disputa sadia pela posição

São Paulo já conta com Alvaro Pereira, Reinaldo e até Michel Bastos, que atuou muitas partidas na lateral-esquerda

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

13 de janeiro de 2015 | 07h00

O São Paulo apresentou seu primeiro reforço para a temporada: o lateral-esquerdo Carlinhos, que chega para brigar pela posição com o uruguaio Alvaro Pereira. O jogador festejou a chegada no novo clube e o fato de poder trabalhar novamente com o técnico Muricy Ramalho, como quem foi campeão brasileiro pelo Fluminense. "Quando estava no Santo André, apareceram alguns clubes interessados no meu futebol, e surgiu a oportunidade de trabalhar com o Muricy. Em sete meses ganhamos o Brasileiro", conta.

O jogador revela que tinha ofertas de clubes mineiros e paulistas, mas optou pelo Tricolor. "Escolhi aqui porque queria ficar perto de Santos, onde está minha família, e pelo projeto do São Paulo. E tem o Muricy, com quem gostaria de voltar a trabalhar. Outros ofereceram contratos maiores, situação financeira melhor, mas não pensei duas vezes em vir para cá. Estava vindo do Rio de Janeiro para Santos dirigindo, quando me contaram. Aí falei: 'Faz de qualquer jeito que eu assino'. Prometo honrar essa camisa", diz Carlinhos, que vai usar o número 16.

O time do Morumbi já conta para a posição com Alvaro Pereira, Reinaldo e até Michel Bastos, que atuou muitas partidas na lateral-esquerda. Carlinhos garante que a disputa será sadia, mas sabe que tem a consideração de Muricy, que aprovou sua contratação. "Eu gosto muito dele e também do Tata, que é uma pessoa engraçada", afirma o atleta, se referindo ao auxiliar de Muricy.

Para o jogador, o fato de o contrato de Alvaro Pereira terminar no meio do ano não faz diferença. "Isso não interfere na escolha do Muricy. Todo mundo quer jogar e o São Paulo está buscando dois ou três jogadores para cada posição, pois será uma longa temporada. Existe a questão do cansaço ou das lesões. É preciso ter um bom grupo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.