Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Amistoso do Brasil com a Argentina tem duas estrelas: Ronaldinho e Neymar

Com os cortes de Riquelme e Verón, sobraram apenas os dois jogadores brasileiros chamados por Mano

Daniel Batista, estadão.com.br

13 de setembro de 2011 | 19h50

CÓRDOBA - Os torcedores de Brasil e Argentina já sabiam que as estrelas em campo para o amistoso de Córdoba nesta quarta-feira seriam poucas, já que os treinadores só puderam chamar jogadores que atuam em seus respectivos países. O número diminuiu segunda-feira, com o anunciou dos cortes de Riquelme e Verón pelo lado argentino. Dessa forma, o jogo entre Brasil e Argentina terá duas grandes estrelas em campo, e plo lado brasileiro: Ronaldinho e Neymar. Todos os flashes e holofotes estarão em cima deles.

Desde que chegou em Córdoba, os brasileiros tiveram a oportunidade de sentir o gosto da fama em solo argentino. Os torcedores locais, por mais apaixonados que são por Messi, demonstraram respeito com a dupla brasileira. Aliás, Messi não estará no jogo e não há na seleção argentina nenhum craque para arrastar multidões no hotel da equipe.

Os poucos torcedores que conseguiram entrar no treino do Brasil só tinham olhos para Ronaldinho e Neymar. Um deles até tentou provocar o flamenguista, chamando-o de gordo, mas logo foi contido pelos demais torcedores que, desesperados, pediam autógrafo e fotos. Neymar mostrou extrema simpatia com os torcedores e distribuiu sorriso.

FASES OPOSTAS

A dupla brasileira estará no centro das atenções por motivos diferentes. Ronaldinho volta a ser olhado como craque, como aquele jogador que já foi eleito o melhor do mundo por duas vezes. Recupera terreno perdido desde a Copa de 2006. Ronaldinho joga para mostrar que ainda tem lenha para queimar na seleção. Será dele a responsabilidade por comandar o time e mostrar que pode ser útil ao time.

Ronaldinho já fez 94 partidas pela seleção, sendo 61 vitórias, 22 empates e 11 derrotas, números que mostram sua importância ao time.

Neymar não tem um currículo vasto quanto o de Ronaldinho, mas já é uma promessa que virou realidade. A expectativa de vê-lo em ação é grande. O menino do Santos, que fez apenas 11 jogos, sendo cinco vitórias, quatro empates e duas derrotas, já se tornou titular absoluto na seleção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.