Amoroso conquista de vez o São Paulo

De questionado a imprescindível. Assim pode ser resumida a trajetória de Amoroso no São Paulo. Em três meses no clube, o atacante conquistou o elenco, a diretoria e os torcedores com excelentes atuações. Ao marcar dois gols e decidir o clássico contra o Corinthians, na vitória por 3 a 2, provou de vez que os dirigentes estavam certos em confiar no seu futebol. "Ele é fera, pela motivação e garra que tem, pode brigar para ser o artilheiro do campeonato", opinou o meia Souza.À vontade com os companheiros, mas sempre modesto, Amoroso não se vangloria dos feitos. Mesmo que tenha se tornado o quarto maior goleador da equipe no ano, com 11 gols - só perde para Rogério Ceni, com 17, Tardelli, com 15, e Grafite, com 12. "O mais importante é que os gols estão sendo importantes para a equipe", diz. "Temos de nos recuperar, estamos em situação difícil no campeonato."Se dependesse apenas de seu talento, o São Paulo estaria numa posição melhor. Prova disso foi a personalidade que mostrou ao chegar à equipe, às vésperas de pegar o River Plate, rival mais difícil na Libertadores. Foi decisivo nas duas vitórias - 2 a 0 no Morumbi e 3 a 2 em Buenos Aires - e, com maestria, liderou o time na final, contra o Atlético-PR. "Quando o convidamos para jogar no São Paulo, ele estava no aeroporto, voltando para a Europa", contou o presidente Marcelo Portugal Gouvêa. "Apostamos nele e deu certo."É certo que não foi bem no Málaga, da Espanha, ano passado. Mas hoje, Amoroso está mais perto dos seus melhores momentos no Guarani, Borússia Dortmund, Udinese e Seleção Brasileira. Cresce a opinião de que a diretoria deve renovar seu contrato, que vence em dezembro. "Ele tem uma amizade grande com todos aqui. Gostaríamos de contar com ele por mais tempo", disse o capitão Rogério Ceni. É preciso apelo maior do que esse?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.