Amoroso detona zagueiros do Liverpool

Amoroso voltou a ser Amoroso. Deixou de lado o estilo bom moço que todos adotam nesse Mundial e falou o que pensa dos zagueiros do Liverpool, provável adversário do São Paulo na final do Mundial. ?Os dois são muito duros. Não têm cintura. Não dá para comparar com zagueiros como o Lugano e o Rodrigo, que jogava no São Paulo, por exemplo?. O atacante do São Paulo referia-se ao finlandês Sami Hyypia, de 32 anos, 1,90m e 24 gols marcados em 338 jogos pelo Liverpool, e ao inglês Jamie Carragher, de 27 anos, 1,86m e três gols marcados em 382 jogos pelo clube inglês. São jogadores muito queridos pela torcida do Liverpool. O técnico Rafa Benítez é admirador de Carragher. Na página oficial do clube na Internet, ele diz que não o trocaria por nenhum zagueiro do mundo e que o considera um dos melhores jogadores do time. São elogios que não impressionam Amoroso. ?Eu acho que eles gostam de sair jogando e não sabem direito. Se a gente fizer uma marcação dura na saída de bola, pode ter boa vantagem?. O atacante acredita que seu companheiro de ataque é que vai se dar bem. ?Vou abrir bastante espaço para eles. Os fortões vão se dar bem. Vão se aproveitar bem no Mundial. Eu joguei muito tempo na Europa e vou aproveitar essa experiência para me dar bem contra eles?. Os ?fortões? são Christian e Aloísio. Nesta sexta-feira, três duplas de atacantes participaram do treinamento: Amoroso e Christian, Grafite e Aloísio e Amoroso e Aloísio. Thiago correu um pouco no final do treino. A tendência é que Aloísio seja o titular, mas esse é um segredo que Paulo Autuori tenta manter. ?Não esqueça que o Thiago é novo, mas também tem qualidades?, diz o técnico, antes de cair na risada. ?Não te ajudei em nada com essa informação, não é??. São quatro lutando por um lugar ao lado de Amoroso, que não sabe se fica no clube. Nesta sexta, na sala de imprensa, brincando com o computador, ele repetiu a vontade de ficar no clube ao final do ano, quando termina seu contrato. ?Gostei muito daqui, fui muito bem recebido e não quero ir para nenhum outro clube do Brasil, mas existem muitas ofertas. Uma é da França, olha aqui no meu email e você vê quem é?, diz, abrindo a correspondência eletrônica e mostrando a proposta do Olympique de Marselha. O Cruzeiro também o procurou, mas Amoroso não assume o convite. ?Tem um clube brasileiro, um da Europa e três do Japão. Também tem umas coisas do Qatar, mas essas eu nem olho. Não quero saber?. Na verdade, Amoroso gostaria de um carinho do presidente. ?Gostaria muito de um contrato de três anos para eu estabilizar minha vida. Tenho um filho de oito anos e outro de três e não queria sair para a Europa novamente. Aí, era só encerrar a carreira no Guarani?. No lobby do hotel, o presidente Marcelo Portugal Gouvêa, vestindo uma camisa com a caricatura de Amoroso ? foi distribuída pelo departamento de marketing do clube ? não mostrava muito entusiasmo em falar da renovação. ?O empresário dele suspendeu as negociações por conta do Mundial. Então, eu também não penso mais nisso?, diz, mostrando a queda de braço entre clube e procurador. Amoroso, por seu lado, se diverte com a postura do presidente. ?Ele é uma pessoa sensacional, muito amigo da gente. A negociação estava indo, mas paramos para que eu pensasse só no Mundial e ele parece que ficou um pouco bravo, mas eu sou fã dele?, conta. Em seu computador, já havia uma foto de Marcelo Portugal Gouvêa com Amoroso no peito. Se Amoroso não ficar, o São Paulo vai correr atrás de outro atacante. Não ficará apenas com Thiago Ribeiro, Christian, Grafite e Aloísio, que, por enquanto está garantido apenas até fevereiro. O clube emprestou Diego Tardelli, de 20 anos, para o Betis (Espanha). ?Eles nos pagaram 250 mil euros para ficar com o jogador até julho. Depois, se quiserem, precisam pagar mais 2,5 milhões de euros?, diz Juvenal Juvêncio, diretor de futebol do clube.

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2005 | 13h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.