Amoroso quer fazer justiça no campo

Amoroso ainda não engoliu a história da CBF ter marcado o clássico contra o Corinthians para o dia 24, apenas dois dias depois de o São Paulo enfrentar um outro clássico, diante do Santos, no Morumbi. Aos 31 anos, o atacante reconhece que não tem condições de participar das duas partidas e já avisou que ficará de fora do primeiro confronto para chegar inteiro frente aos corintianos.?Se os jogadores fossem mais unidos, tenho certeza que essa data sofreria uma mudança, como acontece na Europa. Não tem cabimento, não existe condições de jogar um clássico contra o Santos e outro contra o Corinthians com apenas um dia de recuperação?, ressalta o jogador. ?Já fizemos 70 jogos na temporada, isso aí só vem a prejudicar os jogadores. Deveriam ter tomado outra atitude. Nem que fosse para prolongar o Campeonato Brasileiro.?O jogador garantiu que se o mesmo acontecesse no futebol europeu, a chance seria ?zero? de os atletas concordarem em entrar em campo para jogar dois clássicos em um intervalo de apenas três dias. ?Já pensou jogar no sábado Inter de Milão e Juventus e, na segunda, Inter de Milão e Milan??, exemplifica Amoroso. ?Se uma das partidas tivesse menor importância, talvez até aceitariam. Mas envolvendo dois clássicos é complicado.?É cada vez mais difícil o atacante dar entrevistas sem citar o Corinthians. Quando não é ele, os repórteres fazem questão de alfinetar o jogador em busca de uma declaração para esquentar o novo confronto. Escaldado, Amoroso sabe fugir muito bem da polêmica, mas não esconde a fixação de enfrentar o rival mais uma vez.Afinal, para ele, não serão apenas três pontos em disputa. Com a anulação do clássico do dia 7 de setembro, Amoroso também perdeu dois gols nas contas da artilharia ? ficou com nove. ?Será encarado como o jogo do ano, como uma final de Libertadores. Entrarei 100% e a 200 mil por hora para tentar a quarta vitória no ano em cima do Corinthians?, garante.A outra meta de Amoroso é o Mundial de Clubes, em dezembro, no Japão. E sabe que o seu rendimento até lá será decisivo na hora de discutir uma renovação de contrato com o São Paulo. ?Ainda não rolou nenhum papo mais formal e nem tratamos da parte financeira, mas já deixei claro que gostaria de renovar por mais três anos?, conta.Antes de tudo, porém, Amoroso tem outro ?clássico? pela frente: a Ponte Preta. É assim que ele encara a partida de amanhã à noite, no Morumbi. ?Eu comecei minha carreira no Guarani e sempre convivi com o clima do dérbi. Tenho muitos amigos e quero fazer a alegria de são-paulinos e bugrinos?, avisa.Ontem, Paulo Autuori realizou um coletivo para acertar o time que enfrenta a Ponte. Ficou quase certo que Fabão será titular no lugar de Alex. Na lateral direita, Hernanes substituirá Cicinho.

Agencia Estado,

09 de outubro de 2005 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.