Amos Adamu recorre de suspensão da Fifa na CAS

O nigeriano Amos Adamu revelou ter entrado com um recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) para reverter a suspensão imposta pela Fifa por supostamente ter tentado receber suborno durante o processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. O dirigente foi suspenso das atividades do futebol por três anos, em decisão que foi confirmada pelo comitê de apelações da Fifa na semana passada.

AE, Agência Estado

07 de fevereiro de 2011 | 11h49

Adamu disse que se sente "extremamente contrariado" com o veredicto, que ratificou a decisão de novembro de 2010 do comitê de ética da entidade, que entendeu que o nigeriano tentou receber propina de jornalistas britânicos disfarçados de lobistas. Adamu e Reynald Temarii foram proibidos de participar das escolhas das sedes da Copa do Mundo.

Tamarii, que assim como Adamu era membro do Comitê Executivo da Fifa, também solicitou uma revisão do seu caso à CAS. Ele foi suspenso por um ano por ter transgredido as normas de confidencialidade da Fifa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.