Mahmoud Khaled/EFE
Mahmoud Khaled/EFE

Amplo favorito, Real Madrid encara o Al Ain em busca do sétimo título mundial

Clube mais vencedor do mundo tenta deixar números de lado contra 'jovem' surpresa da decisão

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

22 de dezembro de 2018 | 09h00

O gigante Real Madrid entra em campo neste sábado diante do surpreendente Al Ain em busca de seu sétimo título mundial. Em 116 anos de história, o time espanhol poucas vezes foi tão favorito em uma decisão quanto nesta que acontecerá em Abu Dabi, às 14h30 (de Brasília), nos Emirados Árabes Unidos, e é justamente isto que preocupa o técnico Santiago Solari.

Maior campeão mundial, com seis títulos, e maior vencedor da Liga dos Campeões da Europa, com 13 conquistas, o Real Madrid é um dos clubes mais poderosos do mundo. Neste sábado, vai encarar o pequeno Al Ain, de 50 anos de história, que tem apenas um título asiático, além de conquistas regionais.

"Estamos bem, contentes e animados com o foco colocado na partida. Esta equipe tem experiência em finais, mas também tem o nervosismo e o frio na barriga por ser uma final. O título está em jogo e temos que colocar toda energia e concentração para ganhar, como sempre", declarou Solari, cobrando seriedade de seus jogadores na véspera da final.

O time madrilenho chegou ao Mundial sob dúvidas, diante da campanha oscilante no Campeonato Espanhol. Havia quem apontasse que o River Plate podia lhe fazer frente, mas a queda precoce dos argentinos ampliou o favoritismo do Real Madrid e poucos acreditam em uma nova surpresa do Al Ain. "Se o Real é um clube ganhador e favorito, é porque põe toda a energia nas finais. E temos que estar prontos amanhã (sábado) a nível mental, físico e tático", considerou o técnico merengue.

Mas, do outro lado, os jogadores do Al Ain mantêm um discurso otimista e descartam se dar por satisfeito com a surpreendente campanha até o momento. Representante do país sede, o time dos Emirados Árabes Unidos passou pelos campeões da Oceania (Team Wellington), África (Espérance) e América do Sul (River Plate) e agora quer fazer frente a um dos maiores clubes do mundo.

"O Real Madrid sempre mostrou do que é capaz nas finais. Quando jogam sério, mostram seu melhor diante de qualquer rival. Para vencê-los, vamos precisar de muita sorte e que nosso goleiro tenha uma grande atuação", considerou o treinador do Al Ain, o croata Zoran Mamic. "Para mim, são a melhor equipe do mundo, os grandes favoritos. Nós não podemos nos comparar com eles, mas queremos complicar muito a final".

Para surpreender o adversário, o Al Ain conta com o goleiro Khalid e o brasileiro Caio, destaques no triunfo nos pênaltis sobre o River Plate. Já o Real Madrid confia novamente no atacante galês Gareth Bale, que decidiu a semifinal contra o Kashima Antlers ao fazer os três gols da vitória por 3 a 1.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.