Análise: Cuca não pode entrar na onda de reclamação e briga de bastidores

O Palmeiras tem mais oito rodadas para confirmar o título que persegue há 22 anos, mas teme que o Flamengo, a exemplo do que ocorreu em 2009, lhe passe a perna na reta final do Campeonato Brasileiro. Na Academia, no entanto, Cuca e seus comandados não podem entrar na pilha da cartolagem, tampouco na briga de bastidores que esquentou entre o palmeirense Paulo Nobre e o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, na última sexta-feira. O bate-boca só serve para atrapalhar e desconcentrar. Da mesma forma, Zé Ricardo deve isolar seu elenco dessas confusões.

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2016 | 07h00

As duas equipes têm condições de ficar com a taça. São elencos fortes, com jogadores de destaque em quase todas as posições. Tanto Cuca quanto Zé devem resguardar seus jogadores. O técnico do Palmeiras tem de agir primeiro porque o time lidera, portanto, é quem mais tem a perder. Levar sua trupe para um retiro em Atibaia, por exemplo, pode fazer diferença nesse momento, mesmo que para isso tenha de convencer um ou outro da importância da decisão. Apenas 1 ponto separa Palmeiras e Flamengo na tabela. É hora de se cercar de boas condições e jogar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.