Governo do Estado de São Paulo
Governo do Estado de São Paulo

'Gabigol, um mau exemplo no futebol em meio à pandemia', veja análise

Atacante quebra a confiança de todos com noite de diversão em cassino clandestino em São Paulo em momento trágico da covid-19 e de xeque no futebol

Robson Morelli, editor de Esportes, O Estado de S.Paulo

14 de março de 2021 | 19h40

O futebol continua sendo um mau exemplo, na contramão do que deveria ser para todos, principalmente para os mais jovens, até onde se sabe o novo perfil que a covid-19 está castigando. Gabigol tem motivos para pedir desculpas, como já fez diante das câmeras, embora com alguns sorrisos. Logo ele, que na temporada de 2019 colocou o Rio de Janeiro ao seus pés, com gols maravilhosos.

Havia até uma placa que virou meme. “Hoje tem gol de Gabigol”. As crianças começaram a cortar o cabelo como ele e até a pintar barba na pele lisa. Pais que nem eram flamenguistas deixaram seus filhos curtir o momento de um ídolo na cidade.

Mas Gabriel quebrou a confiança de todos com sua noite de diversão num cassino clandestino em São Paulo, no seu último dia de férias, em meio à pandemia que maltrata a todos nós. Faltou sensibilidade, como disse. Acrescento inteligência e respeito aos que estão enlutados ou com familiares e amigos internados na UTI.

Onde estava Gabigol que não ouviu nada do noticiário da semana passada, com os recordes absurdos de mortes e contaminação e o colapso do sistema de saúde do Brasil? Onde estava Gabigol quando médicos especialistas pediam para todos ficarem em casa? Onde estava Gabigol quando a CBF exibia a responsabilidade do futebol e de seus jogadores aos protocolos?

Neste domingo, não teve gol de Gabigol. Na verdade, foi uma bola bem fora.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGabigolFlamengocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.