Andres Kudacki/AP
Andres Kudacki/AP

Ancelotti defende Di Maria após gesto, mas coloca jogador no banco

Atleta esteve envolvido em polêmica ao ser acusado de fazer um gesto ofensivo para a torcida

Agência Estado

08 de janeiro de 2014 | 16h25

MADRI - O técnico do Real Madrid, Carlo Ancelotti, defendeu nesta quarta-feira o meia-atacante Di Maria das críticas por, supostamente, ter ofendido os torcedores do clube ao ser vaiado durante o jogo de segunda-feira contra o Celta, pelo Espanhol. Na visão do treinador, o argentino disse que não teve a intenção e, por isso, deve-se acreditar na sua palavra.

"Temos que acreditar no jogador, que deu suas explicações. Se alguém acha que foi um gesto feio, ele já pediu desculpas. O jogador está concentrado e não creio que vá ter novamente problemas no (estádio Santiago) Bernabéu. A torcida sempre é exigente, mas tem muito carinho pelos jogadores", comentou Ancelotti.

No jogo de segunda-feira, Di Maria foi vaiado quando saía de campo para ser substituído e levou a mão à sua genitália. A imprensa espanhola logo denunciou que o gesto era uma ofensa aos torcedores, mas na terça-feira o jogador gravou um vídeo, publicado pelo Real, dizendo que o ato foi instintivo e que não teve a intenção de ofender ninguém. Completou que se qualquer pessoa se sentiu ofendida, ele pedia desculpas.

Apesar de ter sido defendido por Ancelotti, Di Maria vai perder posição na equipe titular na partida contra o Osasuna, nesta quinta-feira, pela Copa do Rei. Isso porque o treinador já confirmou que Bale, que voltou ao time entrando no segundo tempo do jogo contra o Celta, recuperará a posição de titular, recuperado que está de lesão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.