Michaela Rehle / Reuters
Michaela Rehle / Reuters

Ancelotti diz que Bayern precisará de 'performance completa' para vencer o PSG

Equipes se enfrentam nesta quarta-feira pela Liga dos Campeões na França

Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2017 | 17h58

Empatado com o Paris Saint-Germain na liderança do Grupo B da Liga dos Campeões, o Bayern de Munique vai medir forças com o adversário nesta quarta-feira, às 15h45 (de Brasília), no estádio Parque dos Príncipes, na capital francesa, pela segunda rodada desta chave. Diante do estrelado time francês, que agora tem Neymar como seu maior astro, o técnico Carlo Ancelotti ressaltou que a equipe alemã precisa de uma "performance completa" para sair de campo com uma vitória.

"Você tem de atacar e defender bem para ganhar aqui. Terá de ser uma performance completa. Você precisa ter um bom equilíbrio", afirmou o treinador italiano durante entrevista coletiva concedida em Paris nesta terça-feira. "Precisamos de toda a nossa qualidade. Precisamos de todos os nossos jogadores (atuando bem)", reforçou.

Para o experiente comandante de 58 anos de idade, o confronto diante do PSG também marcará o reencontro com o time que ele dirigiu entre janeiro de 2012 e junho de 2013. "Tive um grande tempo aqui e tenho grandes lembranças", ressaltou Ancelotti, que pelo time parisiense foi campeão francês na temporada 2012/2013.

Neste confronto, o Bayern poderá contar com a volta do lateral David Alaba, recuperado de uma lesão no tornozelo. É um retorno importante para o setor defensivo, que novamente não terá a presença do goleiro Manuel Neuer. O ídolo foi submetido recentemente a uma nova cirurgia no pé esquerdo e só voltará a jogar em janeiro.

Ancelotti, por sua vez, ressaltou a importância de conquistar uma vitória em Paris e assumir a liderança isolada do Grupo B da Liga dos Campeões. "Este é um jogo de prestígio. Nós queremos vencer e ficar no topo do grupo", projetou.

 

'DINHEIRO NÃO MARCA GOLS'

Já o astro Arjen Robben, esperança de gols do ataque do Bayern, colocou ainda mais pimenta no confronto desta quarta-feira ao dizer que "o dinheiro não marca gols e que a qualidade dentro do campo é que conta". No caso, o holandês se referiu aos altos investimentos que têm sido feitos pelo PSG, que tirou Neymar do Barcelona na contratação mais cara da história do futebol e ainda se reforçou com Mbappé, principal promessa francesa da atualidade e que defendia o rival Monaco.

Robben ainda negou que o Bayern possua uma preocupação defensiva extra pelo fato de ter pela frente essa poderosa dupla de atacantes. "O importante é a atuação do time, não se trata de concentrar-se em um ou outro jogador", garantiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.