Anderson admite ofertas, mas diz que pretende continuar no Inter

Meia afirma que quer subir com o Colorado em 2017

Estadão Conteúdo

30 de dezembro de 2016 | 16h20

Um dos jogadores com salário mais alto no elenco do Inter, Anderson pretende continuar no clube mesmo na Série B. O jogador admitiu nesta sexta-feira que tem propostas para deixar o Beira-Rio, mas ressaltou que sua vontade é permanecer no time e ajudá-lo a subir para a primeira divisão nacional de novo.

"Sou jogador do Inter, quero ajudar o Inter na situação que aconteceu neste ano e quero ficar. Quero trabalhar. Estou trabalhando para entrar em forma e ajudar meu time a subir. Proposta tem, mas tem que ser bom para o clube e para mim. Com certeza estou pensando em voltar para a pré-temporada e dar meu melhor", garantiu o jogador, em entrevista à Rádio Grenal, de Porto Alegre.

Contratado no começo de 2015, Anderson nunca conseguiu ser indiscutível no time. No Brasileirão deste ano, fez apenas nove partidas como titular e 20 no total. Pouco para um atleta de passagens vitoriosas por Manchester United e Porto.

Para ele, faltou sequência. "Quero mostrar minha qualidade no Inter. Esse é meu objetivo. Tive poucas oportunidades. Quando tive oportunidade mostrei meu futebol. Toda vez que me deram continuidade eu dei resultado", avalia.

Há exatamente um ano, a diretoria do Inter calculava que Anderson valia R$ 25 milhões, mesmo já em baixa. Agora, novamente há interesse dos chineses. Também o Braga, de Portugal, e o Middlesbrough, da Inglaterra, teriam procurado o empresário do jogador, Jorge Mendes, para contar com o futebol do meia.

A diretoria, porém, ainda não deixou claro se conta com Anderson para o ano que vem. "Se o clube achar que minha história acabou, vou ver a melhor situação para todo mundo ficar feliz", completou Anderson, garantindo que quer fazer história no Beira-Rio. "Devo isso não só ao Inter, mas devo à minha família. Não quero ficar marcado por um jogador que passou pelo clube e não fez nada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.