Andrade minimiza atrito entre Bruno e Petkovic

Às véspera da decisão da Taça Rio, contra o Botafogo, a diretoria do Flamengo decidiu abafar o desentendimento ocorrido entre o goleiro Bruno e o meia Petkovic na derrota por 2 a 0 para o Universidad Católica, na última quarta-feira, em Santiago, pela Copa Libertadores.

AE, Agência Estado

16 de abril de 2010 | 20h09

Bruno teria partido para cima de Pet no vestiário, no intervalo do jogo. Os dirigentes afirmaram que os dois jogadores não serão punidos e que o assunto está superado.

Antes do treino, no Ninho do Urubu, em Vargem Grande (zona oeste), o elenco se reuniu para aparar as arestas. O técnico Andrade disse que tal atitude vai fortalecer o grupo. "Batemos um papinho e resolvemos. Agora é dar continuidade, já esquecemos", disse o atacante Adriano.

Apesar disso, não houve aperto de mão entre Bruno e Pet. Os dois apenas conversaram. "Foi uma conversa de homem", afirmou Andrade. "Não é o momento de punição. Eles sentaram, falaram frente a frente. Essa conversa é melhor do que punição. Eu estava no vestiário no momento e falei para eles que não podemos perder para nós mesmos, só por méritos dos adversários".

O time titular do Flamengo treinou ontem com a seguinte formação: Bruno; Léo Moura, David, Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim; Maldonado, Toró, Vinícius Pacheco e Michael; Vágner Love e Adriano.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoAndrade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.