André Cunha chega para ser titular

Se depender de confiança e boas referências, André Cunha já pode ser considerado o dono da lateral-direita do Palmeiras. O novo reforço para o Campeonato Paulista e a Taça Libertadores foi apresentado hoje, em Jarinu, pelo presidente Affonso Della Monica. "Chego para ser titular. Não vim para um clube como o Palmeiras para ficar na reserva", afirmou o jogador, destaque da Ponte Preta em 2004. Além das boas apresentações no Estadual e no Brasileiro do ano passado, André Cunha tem a seu favor o técnico Estevam Soares, com quem trabalhou em Campinas. "Conversamos algumas vezes depois que ele saiu da Ponte Preta. Disse para eu trabalhar forte, que se houvesse a oportunidade, me traria para o Palmeiras", contou. "Felizmente, deu tudo certo. Agora, tenho de fazer minha parte". Mas não foi tão simples. A contratação do lateral, quinto reforço da equipe, foi uma verdadeira novela, pois os clubes demoraram a entrar num acordo. O Palmeiras demonstrou interesse em André Cunha logo ao final do Brasileiro. No entanto, o jogador só assinou contrato na segunda-feira. "Isso é normal em qualquer transação", justificou. A trajetória do atleta é curiosa. Ao contrário da maioria dos colegas de profissão, não passou por nenhuma categoria de base. Atuava no futebol de várzea, em Araçatuba, e, já com 20 anos, foi direto para o Penapolense. De lá, peregrinou por Araçatuba e Bandeirante, de Birigüí, até que foi contratado pela Ponte Preta, no início de 2004. "Cheguei a desanimar, pensando que jamais teria uma chance num clube grande", confessou. "Quando fui chamado pela Ponte, voltei a acreditar que poderia fazer sucesso." Reforços - A torcida palmeirense vai precisar ter paciência. O presidente Affonso Della Monica não está tão confiante na chegada de novos reforços para o Palmeiras, pelo menos até a primeira fase da Taça Libertadores, em março. "O problema é a falta de boas opções no mercado", explicou o dirigente. "Se não conseguirmos trazer algum nome para já, tentaremos para a primeira fase da Libertadores", disse, confiante na classificação diante do Taquary, do Paraguai. Della Monica confirma que o objetivo é trazer mais um lateral-esquerdo e um meia. "Não tivemos contato direto com o Giovanni, ainda, mas ele nos interessa", afirmou. "Quanto ao Roger, não está descartado, mas acho muito difícil trazê-lo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.