Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Andrés chama árbitro de Corinthians x Grêmio de 'bizarro' e promete enviar ofício à CBF

Presidente do clube detona Caio Max Vieira e afirma que time tem sido muito prejudicado nas últimas partidas

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2020 | 23h42

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, criticou na noite deste domingo a arbitragem de Caio Max Vieira no empate do time em 0 a 0 com o Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro. Pelo Twitter, o dirigente prometeu entregar nesta segunda-feira um ofício à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para relatar os erros e exigir que o árbitro não volte mais a trabalhar em jogos da equipe.

"Amanhã (segunda-feira), entraremos com ofício na CBF relatando todos estes erros. O torcedor quer respeito. Esse Caio Max Vieira não apita mais jogos do Corinthians", escreveu o dirigente. A principal reclamação é pelo time ter atuado com dois jogadores a menos depois do zagueiro Marllon e do meia Otero serem expulsos. Ainda assim, o Corinthians conseguiu segurar o placar.

O corintiano escreveu que o árbitro não tinha condições de apitar a partida. "Tivemos mais uma arbitragem bizarra na Neo Química Arena. Um juiz despreparado não pode apitar um jogo do tamanho de um clássico nacional como é Corinthians e Grêmio", atacou. A principal crítica recai sobre uma decisão no primeiro tempo. O volante Darlan, do Grêmio, já tinha cartão amarelo e cometeu uma falta. Apesar disso, o jogador não foi advertido.

Logo na sequência o Corinthians sofreu a primeira expulsão, com Marllon. Para o presidente, tanto esse vermelho como o aplicado depois para Otero foram injustos. "A quantidade de erros que ele (árbitro) teve é inadmissível: não deu o segundo amarelo para o Darlan, expulsou o Marllon em um lance discutível e não deu pra nós a falta no lance que terminou com a expulsão do Otero", afirmou.

Andrés citou ainda que em outros jogos recentes o Corinthians também se sentiu bastante prejudicado pela arbitragem. "Eu achei que já tinha visto de tudo contra Sport e América (Mineiro, pela Copa do Brasil), a falta de critério no pênalti, mas é pior. O nível é horroroso", criticou.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.