Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians

Andrés diz a conselheiros do Corinthians que tentará novo acordo com a Caixa

Um encontro entre advogados das duas partes está marcado para esta terça-feira

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2019 | 22h34

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disse em reunião do Conselho Deliberativo que tentará um novo acordo com a Caixa Econômica Federal para o pagamento da Arena. O encontro ocorreu na noite desta segunda-feira, no Parque São Jorge.

A ideia do Corinthians é tentar anular o processo da Caixa, que neste mês ajuizou a execução de R$ 536 milhões contra a Arena Corinthians por causa de inadimplência contratual. O caso tramita na 24ª Vara Federal Cível de São Paulo.

Um encontro entre advogados do Corinthians e da Caixa está marcado para esta terça-feira. A reunião não terá a presença de Andrés e do presidente da banco estatal, Pedro Guimarães.

Na reunião do Conselho Deliberativo, Andrés reforçou que o Corinthians deixou de pagar duas parcelas para a Caixa, referentes aos meses de junho e julho deste ano. No período, a Arena recebeu a Copa América, e o clube não teve arrecadação com bilheteria. A Caixa, porém, informa no processo que corre na Justiça que o Corinthians deve desde março.

Essa diferença, segundo Andrés, é porque a Caixa não conta o acordo verbal que teria sido feito entre as partes. O clube havia acertado no ano passado novo parcelamento da dívida, mas o acordo não foi assinado. No combinado que teria validade até 2028, o Corinthians pagaria parcelas mensais de R$ 6 milhões, de março a outubro de cada temporada, e R$ 2,5 milhões entre novembro e fevereiro, período em que há um menor número de jogos no calendário do futebol brasileiro.

Há outro conflito entre Corinthians e Caixa. O clube diz que deve R$ 470 milhões, enquanto o banco afirma que ainda precisa receber R$ 536 milhões - ou seja, uma diferença de R$ 66 milhões. No último dia 17, a Justiça acatou o pedido da Caixa para incluir o nome da Arena Itaquera S/A, que administra o estádio do Corinthians, no cadastro de inadimplentes da Serasa.

A Caixa emprestou inicialmente R$ 400 milhões ao Corinthians para a construção do estádio em Itaquera. Desde o início do financiamento, em 2014, o clube pagou cerca de R$ 170 milhões, sendo R$ 80 milhões de fevereiro de 2018 até agora. O Brasil fez sua estreia na Copa do Mundo na arena em Itaquera. Ganhou da Croácia por 3 a 1 em 12 de junho daquele ano.

O imbróglio ocorre no momento em que o Corinthians encaminhou acerto também com a construtora Odebrecht. Além dos 400 milhões de dívida com a Caixa, o clube havia se comprometido a pagar R$ 420 milhões para a construtora, que também ajudou a erguer o estádio. Esse valor viria por meio dos CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) emitidos pela Prefeitura de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.