JF Diório/AE - 30/4/2011
JF Diório/AE - 30/4/2011

Andrés garante Tite mesmo em caso de nova derrota

'Ele acertou mais do que errou', diz o dirigente sobre o técnico, que tem contrato até o fim do ano

Vitor Marques, Agência Estado

19 de setembro de 2011 | 17h21

SÃO PAULO - Apesar da má fase do Corinthians, que perdeu a liderança do Brasileirão para o Vasco e só conquistou seis pontos nos seus últimos sete jogos, o presidente Andrés Sanchez garante que o técnico Tite não corre riscos no cargo. E a promessa de manutenção do treinador à frente da equipe vale até mesmo para o caso de uma derrota para o São Paulo no clássico de quarta-feira, no Morumbi.

"Só mandaria um técnico embora quando ele cometesse algum pecado grave, e ele não cometeu. É um campeonato longo, cheio de altos e baixos. E, até agora, ele acertou mais do que errou", disse Andrés Sanchez nesta segunda-feira, um dia após a derrota por 3 a 1 para o Santos, em pleno Pacaembu. O segundo revés seguido em clássicos exaltou a torcida corintiana, que protestou ao fim do jogo.

Para o presidente do Corinthians, o torcedor tem o direito de protestar, desde que seja sem violência. Mas que os pedidos pela saída de Tite não serão atendidos. "Tite tem contrato e vai ficar aqui até dezembro", disse Andrés, lembrando que o acordo com o treinador é válido até o fim do ano. O mandatário alvinegro também negou que já tenha conversado com possíveis substitutos.

As declarações de Andrés foram dadas durante evento para apresentar a Soccerex, evento que vai acontecer em novembro e vai discutir negócios relacionados ao futebol. O presidente do Corinthians comentou sobre a importância da feira e afirmou que o Brasil está atrasado quando o assunto é negócios do futebol.

"Alguns brasileiros não perceberam que a Copa no Brasil já está perto e esse evento fará com as pessoas pensem mais na Copa. O futebol é um grande negócio e tem que ser tratado como tal. Estamos um pouco atrasados, mas isso está mudando", disse Andrés.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.