Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Andrés Sanchez anuncia afastamento da presidência do Corinthians e passa bastão para vices

Dirigente quer 'homenagear' Alexandre Husni, que já tomou posse, e Edna Murad, que comandam o clube até as eleições neste ano

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2020 | 11h40

O presidente do Corinthians Andrés Sanchez deixou o comando do clube nesta quarta-feira. Mas isso não indica que o mandatário está "abandonando o barco" antes da hora. O gesto é simbólico e tem o intuito, segundo ele, de homenagear seus vices, Alexandre Husni, que já tomou posse, e Edna Murad. Ele ficará ausente do cargo executivo até o dia 30 de novembro. Dois dias antes de Andrés se restabelecer no posto, será decidido quem ocupará seu lugar pelos próximos três anos. Quem vencer a eleição assume a presidência a partir de 2021.

Ou seja, restaria apenas um mês para o atual mandatário depois do pleito. Nesse tempo, Andrés quer dar destaque aos vices que o acompanham desde 2018. Ele não deve voltar. Seu maior feito neste ano, foi batizar o estádio em Itaquera, cujo nome passou a ser Neo Química Arena. O clube vai embolsar R$ 300 milhões em 20 anos.

Como são dois suplentes no clube, o presidente deve renovar o pedido de licença em dezembro. O clube dá esse direito a ele. Portanto, no último mês de seu mandato será a vez de Murad ocupar o cargo no Parque São Jorge. Durante sua licença, o Corinthians informou que Andrés se aproximará do Departamento de Futebol. "O Sport Club Corinthians Paulista informa que o presidente Andrés Sanchez se licenciou do cargo da Diretoria Executiva ontem (11 de novembro) com o objetivo de estar no dia a dia do Departamento de Futebol Profissional."

Vale lembrar que o futebol do clube não para neste fim de ano. Com a pandemia, as datas das competições foram esticadas para os dois primeiros meses de 2021. Mesmo assim, Andrés não estará mais na diretoria. Sua intenção de se aproximar do dia a dia do futebol não foi explicada.

Em relação às eleições, nesta semana um nome forte dentro do clube, o de Paulo Garcia, que já concorreu à presidência em outras ocasiões, declarou apoio ao candidato Mario Gobbi, atualmente oposição, mas que já comandou o Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.