Nilton Fukuda/AE - 2/11/2011
Nilton Fukuda/AE - 2/11/2011

Andrés Sanchez rebate Leão e afirma que processará treinador

Técnico do São Paulo criou polêmica por CBF não liberar Lucas para clássico do Paulistão

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2012 | 14h56

SÃO PAULO - Andrés Sanchez agora é diretor de seleções da CBF, mas a rivalidade dele com o São Paulo segue a mesma dos tempos de Corinthians. Nesta sexta-feira, o dirigente respondeu com dureza às críticas feitas, também de forma assertiva, pelo técnico Emerson Leão. Mais cedo, o treinador tricolor reclamou de Lucas não ter sido autorizado pela CBF a viajar somente no domingo à noite para o amistoso contra a Bósnia-Herzegovina, na terça, e assim, poder jogar o clássico contra o Palmeiras.

O agora dirigente da CBF também reclamou de Leão ter insinuado, em entrevista coletiva, que a CBF sugeriu a Lucas forçar o terceiro amarelo quarta-feira, contra o Bragantino, e assim evitar "barulho" por estar ausente no clássico de domingo, frente ao Palmeiras, para servir à seleção.

"É irresponsável falar uma coisa destas. Ele vinha tão bem como treinador, mas acho que ele voltou ao passado. Ele me dê o nome de quem foi (que sugeriu o cartão) que será demitido na hora da CBF. Aliás, ele vai ter que responder isso judicialmente, porque é uma irresponsabilidade", ameaçou Andrés Sanchez, em entrevista ao Sportv.

O ex-presidente do Corinthians também garantiu que, apesar das duas críticas feitas por Leão, o São Paulo não fez um pedido oficial para que Lucas postergasse sua apresentação à seleção. O clube paulista reclama que Dedé, do Vasco, foi autorizado a viajar só no domingo para a Suíça, onde acontece o amistoso contra a Bósnia, para que pudesse disputar a final da Taça Guanabara contra o Fluminense, no domingo à tarde. O São Paulo reclama não ter tido o mesmo benefício.

Ainda de acordo com Andrés Sanchez, não é mais possível postergar a apresentação de Lucas. "Agora, não libera mais não". Além de Dedé e Lucas, foram convocados outros quatro jogadores que atuam no Brasil: Ronaldinho Gaúcho, Leandro Damião, Neymar e Ganso. Os dois primeiros não jogam no fim de semana porque seus clubes foram eliminados do primeiro turno dos respectivos campeonatos estaduais. Já o Santos teve seu jogo contra a Ponte Preta antecipado de sábado para domingo e poderá ter seus dois selecionáveis em campo pelo Paulistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.