Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Andrés sobre Tite: 'Se ele não acertar com o Corinthians até sexta, vamos para a segunda opção'

Presidente dá prazo até sexta para assinar novo contrato com treinador campeão brasileiro

Vítor Marques, estadão.com.br

13 de dezembro de 2011 | 14h18

SÃO PAULO - O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, estipulou sexta-feira como prazo final para a renovação de contrato de Tite. O clube ofereceu ao treinador mais um ano de vínculo e aumento de salário. Mas a diferença, segundo Andrés, ainda é grande. Caso não haja acordo, a diretoria já tem nas mãos um Plano B, cujo nome o presidente não quis revelar.

"Já fiz a proposta, e se não acertar até sexta-feira a gente vai para a segunda opção", afirmou o presidente em entrevista à TV Estadão "É uma diferença (de salário) razoável, tenho um teto e não vou abrir mão desse teto."

Na segunda-feira, no programa Bem Amigos, da SporTV, Sanchez havia dito que as negociações com Tite estavam caminhando bem até que o empresário do treinador, Gilmar Veloz, pediu salário fora dos padrões do País. "Não vou pagar R$ 750 mil, R$ 800 mil, para um treinador." 

O teto salarial a que ele se refere, segundo dirigentes do clube, é de R$ 400 mil. Tite ganha em torno de R$ 300 mil.

Apesar do impasse, Andrés, que se licencia do clube nesta quinta-feira, acredita na renovação. Ele acha que vai entregar o cargo ao diretor Roberto de Andrade com o assunto resolvido. "Tenho certeza de que ele vai acertar, e espero que (Tite) tenha um ano feliz."

Tite está de férias nos Estados Unidos, e quem está conduzindo as negociações é o empresário do treinador, Gilmar Veloz, que não quis falar sobre o assunto ao estadão.com.br. 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansAndrés SanchezTite

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.