Angolano da Portuguesa sonha com a Copa

A Portuguesa pode ter um jogador na Copa da Alemanha ano que vem. Mas não na seleção brasileira. O atacante Jonhson, 26 anos, é angolano e deve ser chamado pelo técnico Oliveira Gonçalves para defender a seleção da Angola no último jogo das Eliminatórias Africanas, dia 9 de outubro - o País lidera o Grupo 4 com 15 pontos e está próximo de se classificar para uma Copa do Mundo pela primeira vez na história.Franzino, Jonhson lembra muito um daqueles corredores da São Silvestre. E foi por causa do físico que o angolano desistiu de jogar handebol. Praticava o esporte no Rio Grande do Norte, para onde foi quando saiu da Angola, com 9 anos. E com 15 se mudou para São Paulo. "E não deu mais para jogar handebol aqui, era mais violento, muito competitivo. E o pessoal era muito grande", lembra. "A alternativa foi tentar o futebol, pois achei que iria ter mais chances." Na idade em que muitos jogadores já estão despontando para o esporte, Jonhson começou a jogar. Seu primeiro time foi o São Bernardo, com 18 anos. E desde então não parou mais. Jogou por várias equipes do Brasil e no Malatyaspor, da Turquia, por 2 anos. Depois que voltou ao país, ajudou o Juventus a conquistar o acesso à divisão principal do Campeonato Paulista este ano. E chegou à Portuguesa no começo do mês."Ele é um jogador rápido, um atacante muito bom", garante o técnico Giba, que confirmou a escalação do angolano para o jogo de sábado contra o Paulista, em Jundiaí, no lugar de Oliveira."Todo garoto brasileiro tem o sonho de jogar pela sua seleção. E eu acabei tendo essa vontade também. Mas só quero jogar pela Angola", afirma Johnson. O atacante fez alguns jogos pela seleção do seu país entre 2001 e o começo de 2004. Depois, não foi mais convocado.Participou, inclusive, das Eliminatórias para a Copa de 2002."Infelizmente não conseguimos a classificação. Mas desta vez vamos conseguir." A esperança de voltar a vestir a camisa da Angola aumentou muito depois que o técnico Oliveira Gonçalves assumiu o comando da seleção, no fim do ano passado. "Eu conversei com ele essa semana e ele quis saber como estou. Disse que em setembro precisa vir ao Brasil e vai aproveitar para ver alguns dos meus jogos", confessa Jonhson, que já marcou 5 gols pela Angola.O atacante só tem uma reclamação em jogar aqui no Brasil. Acha que o futebol brasileiro não entra muito no foco dos africanos. "Tenho certeza de que se estivesse em Portugal já teria sido chamado para a seleção", diz. O detalhe curioso é que Jonhson recebeu proposta de times portugueses antes de se transferir para a Lusa. E por que não aceitou? "Eu já tinha ficado um bom tempo fora do país e não queria sair de novo. Além disso, o Brasil tem o melhor futebol do mundo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.