Imagem Antero Greco
Colunista
Antero Greco
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Angústia popular

O Brasileiro tem só duas rodadas. Portanto, mundo de bolas na rede, lances perdidos, pênaltis ignorados ou inventados ainda vai rolar até a 38.ª, no início de dezembro. Mas os aperitivos oferecidos mostram que, além do costumeiro equilíbrio – não necessariamente bom nível técnico –, haverá arrepios, calafrios, dores de cabeça proporcionados por concorrentes com camisa de peso e tradição.

Antero Greco, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2016 | 03h00

O Cruzeiro é candidato a dar vexames, talvez com o elenco mais fraco dos últimos tempos. Botafogo, Flu, Grêmio, Palmeiras prometem também... Mas gigantes como Corinthians e Flamengo deixam imensas legiões de fãs com pés atrás. A turma alvinegra tende a oscilar, com um grupo que não fecha e está sob constante ameaça de desmonte. A trupe rubro-negra mais parece um catadão de casados e solteiros a baterem bola no sítio após churrasco de fim de semana.

A tensão corintiana deu o ar da desgraça, na tarde de ontem, no Barradão. Veio na forma de mudança brusca em dois tempos. Na primeira parte do duelo com o Vitória, viu-se equipe leve, atrevida, com descidas constantes ao ataque. Tite colocou Bruno Henrique e Elias na marcação, soltou Giovanni Augusto, Marquinhos Gabriel e sobretudo Guilherme para o ataque. O trio contou com apoio adicional dos laterais Fagner e Uendel. Não por acaso ambos marcaram os gols que deixaram o time deles na frente. Formação interessante, para além do gasto, e na qual apenas destoava André, centroavante de mais baixos do que altos.

O Vitória não se dobrou, mesmo com os 2 a 1 contra, e deu a volta por cima no segundo tempo. O Corinthians cometeu o erro de frear o ritmo e atrair o rival para o próprio campo. Com a falha decisiva de não ter marcação reforçada. Levou o empate com Marinho e a virada com Kieza, ao receber bola no meio do campo, entre quatro corintianos, e só parar depois de ver a bola dentro do gol de Walter.

A proposta de Tite foi bacana – futebol pra frente sempre agrada. Não funcionou até o fim porque os jogadores e ele demoraram a se dar conta de que o Vitória ganhava espaço. Quando resolveu mexer e tirar Elias, Giovanni Augusto e Marquinhos, para colocar Romero, Luciano e Marlone, numa composição mais cautelosa, era tarde.

A gangorra corintiana, pelo visto, vai balançar bem, e aponta duas direções: se Tite alcançar estabilidade na alternativa tática, dará bom caldo. Caso contrário, sobrarão cabelos em pé.

Mais descontrolada do que a dela é a do Flamengo. Impressiona como ele está ruim e piora a cada apresentação. Os rubro-negros já não empolgavam com Muricy Ramalho. Após o afastamento do treinador, por saúde abalada, desandou. Havia jogado mal nos 2 a 1 para o Fortaleza, que lhe renderam desclassificação na Copa do Brasil.

Conseguiu piorar em Porto Alegre – e diante de um adversário que não está essas coisas. Não teve um que se salvasse. Destaque, só negativo, e no caso mais uma vez Guerrero; sumiu o goleador oportunista. O restante é um amontoado a desfilar pelo gramado. Nessa toada, passará outro ano a fazer muitos cálculos... para não cair.

No Morumbi... Edgardo Bauza fez o certo: escalou o São Paulo com força máxima para receber o Internacional. A melhor maneira de manter o entusiasmo, após a conquista da vaga para a semifinal da Libertadores. O grupo sentiu o desgaste do tira-teima com o Atlético-MG, mas cumpriu bom papel diante dos gaúchos. Houve a derrota por 2 a 1, é verdade, consequência de desatenções na defesa, mas se notou um grupo que agora confia em si. Não deve abrir a guarda até julho, quando enfrentar o Atlético da Colômbia.

Na Vila. O Santos levou susto do Coritiba e venceu por 2 a 1 com gol do eficiente e discreto Renato, aos 51 do segundo tempo. Dorival Júnior sabe que o desafio, a partir de agora, é recriar o meio e o ataque sem Lucas Lima e Gabriel, que talvez nem voltem da seleção. Terá problemas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.