Animado, Santos pensa agora no Vasco

A vitória sobre o Guarani fez com que o astral mudasse radicalmente no CT Rei Pelé. Nesta terça-feira, na reapresentação do time, os jogadores estavam descontraídos e, no final da tarde, comemoraram o aniversário de Odvan, Esquerdinha e Diego com muita festa e ovos. A partir desta quarta-feira, Celso Roth começa a definir o time que enfrentará o Vasco, sábado, em São Januário, pela 13ª rodada do Rio-São Paulo. Como só uma vitória mantém o Santos vivo no torneio, o treinador reuniu os atletas para uma conversa que durou meia hora. "A vitória deu uma relaxada e agora vamos assumir nossa responsabilidade, pois todos sabem o que têm de fazer", disse o zagueiro André Luís. No ano passado, ele jogou pelo Fluminense e conhece bem o adversário. "Temos que estar ligados os 90 minutos, marcando sob pressão para não dar espaço ao ataque vascaíno, que é muito perigoso, principalmente em São Januário". Mas se o artilheiro Romário estiver em um dia inspirado e for confirmado para o jogo, toda a alegria dos santistas pode cair por terra. O jogo fora da Vila Belmiro não deixa de representar um alívio para os jogadores que ainda não venceram nenhum adversário nesta temporada. "A pressão lá também é grande e temos que tirar proveito da situação, já que o Vasco perdeu o clássico para o Fluminense e vai ser bem pressionado", disse Robert. Nesse ponto, acha melhor jogar em São Januário. "O Maracanã é neutro e a torcida fica mais distante". Jogar fora de casa, portanto, não assusta Robert. "Está na hora desse tabu acabar e estamos nos preparando para isso", disse, lembrando que, das três partidas que faltam, pelo menos duas serão no Rio de Janeiro (Vasco e Bangu) e o clássico contra o São Paulo, marcado para o dia 7 de abril na Vila Belmiro, pode ser transferido para alguma cidade do interior. Robert espera um jogo difícil, mas conta com a vitória, única condição para os santistas continuarem disputando a quarta vaga do Rio-São Paulo. Nesta terça-feira o meia era festejado pelos dois gols marcados domingo. "É gostoso, foram dois gols bonitos que ajudaram o time, mas agora só temos que pensar no Vasco". Acha que a suspensão de Felipe vai ajudar seu time e lembra que o adversário "tem um time muito forte".

Agencia Estado,

26 Março 2002 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.