Glauco de Pierri/Estadão
Glauco de Pierri/Estadão

Animados com a estreia, colombianos se divertem na porta do Morumbi

Torcida vem em bom número para o segundo jogo da seleção na Copa América

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2019 | 16h41

A torcida da Colômbia pintou de amarelo as ruas que dão acesso ao estádio do Morumbi na tarde desta quarta-feira. Animados com a vitória por 2 a 0 contra a Argentina na estréia da Copa América, os colombianos estão otimistas não apenas com o jogo de hoje contra o Catar, mas também com a participação do time na competição continental e na Copa do Mundo de 2022. 

"Finalmente temos um técnico que nos deu organização. Agora, somos os melhores", exemplificou John Vargas, de 52 anos e que veio de Medellín com a família acompanhar sua seleção no Brasil. "Se for ver, sempre tivemos jogadores técnicos. Acho que desde a Copa de 90. Você lembra daquele time? Então, agora vamos ver se conseguimos repetir", diz o saudoso torcedor, que acredita que o time que jogou o Mundial da Itália foi o mais completo de seu país que ele viu jogar.

Juan Vargas, o filho mais velho, não se lembra da Copa de 90, mas elogiou o time dos últimos dois mundiais, de 2014 e 2018. "Demos o azar de pegarmos o Brasil na Copa disputada aqui. E no ano passado foi um pecado empatar com a Inglaterra e perder nos pênaltis em um jogo e que o time perdeu um montão de gols. Mas agora com o Carlos Queirós acho que vamos mais longe desta vez."

Os dois estiveram no Mundial da Rússia e, até agora, elogiaram a organização do torneio disputado no Brasil. "Eu acho que está parecido com a Rússia. Só o Morumbi que não parece estádio de Copa América, é meio parecido com os estádios que temos na Colômbia. Mas tudo bem, tem um ar mais rústico. E acho que a Colômbia vai seguir, então vamos para mais estádios no Brasil", explicou John Vargas.

Enquanto parte dos colombianos fica na Praça Roberto Gomes Pedrosa com a Giovanni Gronchi cantando e dando entrevistas para a imprensa do país, outros se divertiam de outras formas. Enquantoa alguns pediam para tirar foto com os cavalos da Polícia Militar, outros pediam os retratos perto dos carros do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

Sozinho, o colombiano Walid Saker, de 40 anos, pintou o rosto para vir ao Brasil. Com ingressos para vários jogos, inclusive alguns da seleção brasileira, ele conhece bem a seleção de Tite. "Não gostei do jogo de ontem, nem parecia a seleção brasileira que estamos acostumados a ver. A minha Colômbia está bem melhor", brincou o torcedor.

Com o acesso ao estádio facilitado pela recente inauguração da estação Morumbi da linha 4-Amarela do Metrô, a maior parte dos torcedores optou por vir ao jogo de transporte público, muito elogiado por todos. A expectativa de público é boa. De acordo com o Comitê Organizador da Copa América, mais de 30 mil ingressos foram vendidos antecipadamente durante as fases de pré-venda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.