Divulgação
Divulgação

Animados, jogadores do Palmeiras falam em vencer primeiro clássico

Série invicta no Brasileirão enche os atletas de esperança de conquistar o primeiro resultado positivo contra rivais no nacional

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2014 | 07h07

Zona de rebaixamento e crise eram assuntos corriqueiros no Palmeiras até semanas atrás. Três vitórias consecutivas mudaram o clima entre os jogadores e as perguntas durante as entrevistas coletivas. A confiança é tão grande que os atletas falam em conseguir a primeira vitória em um clássico no Campeonato Brasileiro. Os últimos desafios contra os rivais foram para esquecer.

Contra o Santos, adversário de amanhã, o time alviverde perdeu na Vila Belmiro por 2 a 0 no dia 17 de julho, na partida que marcava a estreia do técnico Ricardo Gareca. O clássico ainda contou com uma falha do goleiro Fábio. Dez dias depois, outra derrota, desta vez para o Corinthians, também por 2 a 0, no Itaquerão, e sem esboçar nenhuma reação ou dar dificuldades ao adversário

Para fechar as decepções, dia 17 de agosto o time perdeu no Pacaembu por 2 a 1 para o São Paulo com doses de crueldade. O gol marcado pelo rival foi do ex-ídolo Alan Kardec, aos 44 do segundo tempo. "Isso ficou para trás. As vitórias nos dão confiança. Quando perdemos, erramos muitas coisas e estamos dando a resposta em campo. A cada jogo, temos uma clara evolução", disse o lateral-esquerdo Victor Luis, que tem atuado como volante.

Mas o técnico Dorival Júnior não demonstra tanta empolgação com o momento e sabe que, apesar dos resultados, a situação está longe de ser comemorada. O Palmeiras é o 12.º com 34 pontos, apenas quatro à frente do Bahia, o primeiro na zona de rebaixamento.

"Não tem como pensar em relaxamento. A proximidade com a zona de rebaixamento é clara e nítida. Em uma ou duas rodadas estaremos presentes se os resultados não vierem. Por isso temos de jogar de maneira intensa", explicou.


Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasDorival JúniorFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.